top of page

BECO DOS POETAS Nº 14 — 12/05/2022

Atualizado: 18 de mai. de 2022

Poderosos poetas e poetisas, palavras que marcam, que emocionam, que não se calam... e nos fazem sorrir! Hoje temos mais um novo colunista: Júlio Barbosa. Professor, Doutor, Mestre, Poeta, Cantor, Compositor, Arranjador! Ufa! Faltam adjetivos para qualificar uma pessoa com tantos talentos. Seja bem-vindo! Fiquem atentos! Em breve Júlio nos surpreenderá.

Leia, Reflita, Comente!


Luiz Primati




NOITES


por Paulo Brito

Tem sido dias difíceis, mas eu seguro as pontas por aqui, durante o dia é só sorrisos, mas a noite dentro do meu quarto antes de dormir eu desabo em silêncio.


Faz frio lá fora e chove aqui dentro, sinto o vazio me consumir e a dor rasgar o meu peito, mas eu só digo que é cansaço mesmo.


Eu sempre gostei de ficar olhando para o céu porque me sentia abraçado por uma imensidão que também há dentro de mim..., mas agora dói.


Eu já perdi as contas de quantas vezes quis chorar, de quantas vezes quis gritar para o mundo que algo me sufoca por dentro e eu não consigo entender...


Quantas vezes eu já quis sair correndo e ir para um lugar de paz, eu já perdi as contas de quantas vezes eu já senti tudo isso e fiquei em silêncio... contemplando a noite cada vez mais escura...


Eu tenho medo de tudo o que é grande demais, consequentemente, da noite escura sem estrelas que cresce lá fora e aqui em meu peito...


Boa noite!




ELE


por Stella Gaspar

Ele...

Fez-me enxergar o amor

E eu o vi

Na beleza das eternas poesias.

Ele e eu

Decidimos um dia, nos amarmos.

E a cada nuvem que se movimenta

Percebemos que essa decisão

Foi a mais acertada, de nossas vidas.

Ele...

É como um mar imenso e profundo

Com ventos e gaivotas, sobrevoando.

Em uma atraente liberdade

De ondas calmas a me abraçar.

Ele...

Está sempre tão lindo

Suavemente sorrindo

Como uma história de amor infinita

Ah, ele e o amor.

Ambos têm a ternura

De uma aquarela

Acalmando meus cinco sentidos

Ele e eu

Somos inteiros e feitos um do outro

Como uma melodia suave

Entre as rosas.


Ele...

Leva-me para sonhos eternos

E me invade de amor.

Ah, você é um dia com sorrisos de primavera.

Vamos dançar com a luz do sol?

Sou tão feliz por viver em teu mundo

Não tenho dúvidas

De que vou te amar sempre.




FILOSOFIA DA PORTA


por Marcelo Girard

Tem gente que fecha a porta e não quer sair,

E gente que não abre a porta e fica parado.

Tem gente que chega perto, mas não quer abrir,

Outros preferem a janela para fugir da porta certa.


Tem gente que empurra a porta, mas não quer ir,

Tem até quem constrói uma porta ao lado da aberta.

Também tem os que dizem que não viram a porta!

Alguns deixam a porta semiaberta.

E tem aqueles que já estão lá dentro,


Quando aqui fora aperta.

Outros em clima de alerta,

Se escondem atrás da porta.

E tem gente que faz tudo isso

Diferente,

E nem se importa.




AMOR NO CORAÇÃO


por Sidnei Capella

Amor no coração, traz o que é bom. Acordei com um amor imenso no coração! Ao sair no portão, avistei os meus vizinhos. Cumprimentei-os sorrindo. Acordei com um amor imenso no coração! No meu caminho, deparei-me com uma doce senhora. Ela me falou, que amar é para qualquer hora. Acordei com um amor imenso no coração! No trabalho, meu amigo estava com um dilema. Falei, juntos enfrentaremos o problema. Acordei com um amor imenso no coração! Voltando para casa, a criança me pediu esmola. Dei-lhe uma moeda e desejei-lhe vitórias. Acordei com um amor imenso no coração! Chegando em casa, senti, como é bom o nosso lar. Ótimo! Estou a respirar. Acordei com um amor imenso no coração! Chegou a hora de dormir, farei a minha oração. Joelho no chão com toda gratidão.




ACORDEI ASSIM


por José Juca

Acordei, o dia raiou!

Mente em festa resplandeceu!

Certeza se planificou!

Aurora linda, outrora renasceu!

Levantei bem, assim!

No céu! Nuvens olhando pra mim!

Felicidade sonho sonhado,

Estás no desejo não contado.


Sublime pérola viver

SonhoEncantoMaterializar

Expectativa de meu ser

Na brisa d’um anoitecer.




DESPEDIDA


por Rick Soares

Vem cá! Me abraça forte.

Confunde o meu sentimento.

Será que é você que vai ou estou te deixando ir?


Vem cá! Me abraça forte.

Deixa-me sentir o teu cheiro… ou será o meu? O nosso talvez!? Ahh não importa! Ficará na memória.


Vem cá! Me abraça forte.

Deixa-me olhar nos teus olhos. Deixa-me colher essa lágrima. Será a última para mim? Shhh! Não precisa falar! Une teus lábios novamente. Acalma teu coração.


Vem cá! Me abraça forte!

Sente o teu coração que bate dentro de mim. Reconhece este som? É… Também está dentro de ti.


Vem cá! Me abraça forte.

Como se fosse a última vez.

E é!




MAMÁ PANCHA Francisca Duarte – El ánima del Taguapire


por Breidy Lara Abreu
IG: @breidylaraabreu

I


Bajo el azul de este cielo quiero dedicarle mi verso y melodía a un ángel que yo venero y es el custodio, de mis pasos noche y día dándome valor y aliento, en mis momentos de agonía desde que llegué a este mundo, me ha iluminado y me guía. Pido permiso al Creador que me conceda, un sueño, una fantasía que hoy con su guardia de honor en un carruaje, tirado por bestias finas con arpa maraca y cuatro, cual celestial sinfonía nos envíe a Francisca Duarte, Patrona de Santa María. Este sencillo homenaje, es para ti, ánima bendita te dedico este pasaje, con su rima sencillita bella forma de expresarte este cariño tan grande, que en mi corazón habita. Azucenas y claveles, dalias, gardenias y rosas amapolas y alelíes, la acuarela más preciosa el presente más sublime, que te traigo desde El Tigre para ti vieja amorosa. II Me enorgullece cantar ante tu altar, que hoy se viste de alegría y así poderte ofrendar coplas criollitas, que brotan como agua viva con fragancia a mastrantal y a sabana recién llovida como la palma que crece, sobre esta tierra bravía Grabado está en la memoria de los que viven, en Santa María de Ipire y con emoción describen, que un Taguapire te dio cobijo a su sombra transportando al más allá, la grandeza de tu gloria el Creador de la inmensidad, plasmó tu nombre en la historia. Aquí estoy Francisca Duarte tras corta ausencia en tu casa hoy que vengo a saludarte la emoción plena mi alma el silente Taguapire, que al cielo te circunscribe imponente, extiende sus ramas. Vuelvo a dirigirme al cielo para elevar mi plegaria al Sagrado Padre Eterno por concedernos la gracia de tenerte entre nosotros, en este día jubiloso mi querida Mama Pancha.

Cuentos de camino: Maria Francisca Duarte "Ánima de Taguapire"




ESFALDADA


por Regina Prado

Cansei de gente podre

Daquelas que roubam seus sentimentos

Deixando apenas palavras soltas, perdidas ao vento

Gente que se compraz em me ver sorrindo

Dizendo palavras doces, lindas

Cravando punhal sendo comedidas

Muitas ferindo com um simples olhar

Julgam, sem ao menos querer saber

Do esforço descomunal para viver

Podres ao sentir prazer em me ver lutar

Desejando que na próxima esquina

Esteja tombada, com enorme trinca

Outras sobrepõe com dureza

Soltando o fel da boca ferina

Com duras palavras me recrimina

Pessoas implacáveis que se gabam

Afinal se deram bem na vida

Humilhando com prazer, sem medida

Cansei mesmo, difícil compreender

Atitudes assim no convívio

Emudeço então, finjo demência. Que alívio!




INVISÍVEIS


por Alessandra Valle
IG: @alessandravalle_escritora

Nas calçadas, nos bancos de praça, debaixo das marquises, maltrapilhos se amontoam.

Quem os enxerga?

São invisíveis, garantem as madames.

Drogados, abandonados a própria sorte que nunca lhes sorri.

Faltam-lhes caráter, dizem os hipócritas.

Sem autoestima e confiança, a fé lhes costuma falhar.

Perambulando sem rumo, sem propósito, adoecem.

Encontram teto e cuidado relativo em nosocômios públicos.

Por certo, nem a família os querem, são inúteis, dizem outros muitos.

Cada estória que está na rua tem sua motivação, seja ela qual for.

Procuro entender, busco por alguma referência familiar quando sou solicitada, mas, na verdade, finjo não os ver.

Gostaria de ter olhos de ver e mãos de ajudar.




CORAÇÃO ENRIJECIDO


por Luiz Primati
IG: @luizprimati

Sem espaço para lágrimas em meus olhos,

nem para palpitações em meu peito,

o passado é uma folha amarelada

num caderno esquecido num armário.


Paixão é uma ilusão que nos cega,

posta-nos de joelhos

diante de nossa fraqueza,

fere a alma.


Sonhos de um mundo perfeito

já não existe em minha mente,

somos seres incompletos

procurando o que nos falta, no outro.


Após tantos sonhos frustrados,

o que me resta é

um coração com cicatrizes,

e um passado para lembrar.


Não me venha com palavras frívolas,

estou sereno, forte,

e, no fundo, sou apenas

um menino amedrontado.




BAMBOLÊS


por Lina Veira

Em roda de amigos

Há  mar de dores

Que invadem o quarto inteiro

Cantorias espantando passarinhos

Meninas e meninos  me olhando um instante 

Fiz pausas

Com chinelos no paralelepípedo

E bambolês

Acabou a festa, meu bem

A gente brinca de roda com olheiras enormes, enquanto a noite nunca dorme

— Tente dormir

Seus olhos  sorriem  mareados

Um grito não soado

Entalado

Sem espaço

Para seguidores da China  ou clichês

Uma brecha apenas para sermos bambolês

Uma pausa  para saborear cada letra esquerda do seu rosto, nas costas, nas mãos

Que servem a poesia e desenha os moldes de nosso corpo

Atendendo cada pedido seu

Deduzo

Durmo




BREVE


por Júlio César Barbosa

Sim, eu ti vi ali parado a minha frente, era puro sentimento, pura emoção.

pausas entremearam nossa conversa

o mar nos teus olhos

veio me dizer coisas

que tua boca não ousou falar,

mas eu compreendia cada pausa,

cada pensamento,

cada conjectura.


As palavras vinham, brotavam de tua boca que por um instante ousei pensar

roubar um beijo.


Sim, eu te ouvi atentamente e fiz pausas e silêncios fingindo te compreender,

mas o negro dos meus olhos que fitavam os teus

se viu estrelado como um céu sem lua

que se deixa inundar por cometas, planetas e astros

na expectativa que teu signo por fim combine com o meu

sim, eu te quis um pouco antes e mais ainda depois

porque no teu abraço na despedida havia calor

e a alma pressente, e o coração talvez se engane, mas o que importa?


Não é o tempo que se vive, mas a intensidade do fogo que queima o corpo,

o deleite da alma no encontro da mente

e a quietude do desejo quando por vezes minha pele roçou na tua.



NOSSOS COLUNISTAS


Da esquerda para a direita: Sidnei Capella, José Juca e Paulo Brito. Depois Stella Gaspar, Breidy Lara Abreu e Alessandra Valle. Depois Rick Soares, Júlio Barbosa e Lina Veira. Por último, Regina Prado, Marcelo Girard e Luiz Primati.

77 visualizações6 comentários

Posts recentes

Ver tudo

6 Comments


Stella Gaspar
Stella Gaspar
May 13, 2022

Poemas de dia, poemas da noite, do frio e do solitário mundo interior. Poemas que abrem as portas deixando entrar as palavras amorosas de Sidnei. Uma bela escrita a de Juca, se aproximando do talvez seja a última vez do Rick. Lindíssimas estrofes Breidy. Que alívio Regina. Alessandra, muito lindo o teu poema, você é uma poetisa sim. Luiz, amei...Júlio, foi breve o espetáculo que deixas aqui, eu queria mais e acabou tão breve! Sem defeitos, uma bela obra de arte dos corações poéticos de todos! ❤️

Like
Stella Gaspar
Stella Gaspar
May 14, 2022
Replying to

O seu comentário é lindo e cativante, Sidnei! Feliz sábado para você 😍

Like

Luiz Primati
Luiz Primati
May 12, 2022

Parabéns a todos os poetas! Hoje, Júlio Barbosa com seu poema apaixonado, arrebatador, encheu nosso caderno com palavras certeiras, tal como flechas atingindo um alvo imaginário. Não nos abandone!

Like

Henrique Soares
Henrique Soares
May 12, 2022

Parabéns aos queridos poetas! Não dá pra se esperar menos que isso dessa equipe! 👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽

Like

jusejuca.ps1502
jusejuca.ps1502
May 12, 2022

Parabéns amigos... Belas obras que por si só falam, exalam, reparam, emanam, ensinam... Qualquer adjetivo, a emoções particulares, possam em_Bela_(e)zar... A arte está aí... Algumas tão belas a emocionar... Sucesso... Sempre... Regina, Stella, Rick, Luiz, Breidy, Sidnei...

Like
bottom of page