top of page

SEGUNDA CONCRETA Nº 15 — 25/07/2022


Semana Começando.

Segura Cachorro.

Solta Cabelo.

Sacode Coberta.

Seja Coerente.

Senta Cadeira.

Segura Celular.

Se Concentra.

Segunda Concreta.

Senha Cadastrada.

Somente Comente.

Somos Carentes.

Somos Criativos.

Sempre Concretos.


Esse é o espaço para os POETAS CONCRETOS mostrarem seu trabalho.


Todos que quiserem participar desse caderno, favor contatar Juliano Nunes que é o curador desse espaço.


Apreciem a arte! Comentem!


Luiz Primati


 

POETA CONCRETO

JULIANO NUNES


Nascido em Belo Horizonte em 16/09/1989. Aos 8 anos descobriu a paixão pela poesia, parou com 16 anos, pois entrou para a área das exatas, também amava matemática. Estudou Engenharia Mecânica na Universidade Federal de Minas Gerais. Através dela, fez intercâmbio (Programa Ciência sem fronteiras) e morou na Alemanha durante um ano e meio. Ainda durante a universidade foi diagnosticado com transtorno bipolar. Devido a um longo sofrimento, e por tentar aliviá-lo, o seu poeta interno se libertou. Acordou em uma madrugada de terça-feira doido para escrever poemas. Fez e não parou mais. Voltou a fazer poemas líricos, mas dois meses depois já descobriu a sua maior paixão: a poesia concreta.

 

EXCLUA CHEIA DE SI


UM "NÃO" AO SUICÍDIO


 

POETISA CONCRETA

TALITA SANTANA


Talita de Moura Santana, nasceu em São João do Paraíso, região de Minas Gerais, no dia 27 de junho de 1995. Atualmente mora em Sabará/MG. Sua mãe funcionária pública e seu pai agricultor. Casada com Ito Yogame dos Anjos Mota, principal responsável de encontrar a área que ela ama e está cursando, Design Gráfico na escola de Design UEMG em Belo Horizonte.

 

SEM TÍTULO


SEM TÍTULO


 

POETISA CONCRETA

CLÁUDIA CESCA


Cláudia Cesca fez Direito meio torto, até que deu certo para o mínimo sustento material; mas a alma não se sustentou por muito tempo na rotina e começou a ter fome de palavra-arte e ritmo. Cláudia gosta de experimentar a poesia na sua forma expandida, geralmente começa a experimentação com um poema escrito na forma mais conhecida, em um caderno, depois passa para um poema-objeto, após para as telas, acrescenta movimento, etc., tudo fazendo parte de um grande processo de descoberta e criação. Esses poemas representam um pouco de como a poesia transformou a vida dela, fazem parte do que ela chamou de Experimento C, constituindo a espinha dorsal de Cláudia que uma hora entrou em colapso e foi viver um outro mundo livre de regras na escrita, um papel em branco livre. Nesses poemas visuais ela revisita um que abre seu primeiro e ainda único livro, não publicado, mas em vias de e pronto para ser chamado de Luzes-Piloto. É um livro de prosa poética expandida que acompanha diferentes mulheres no centro de São Paulo, o livro narra pequenos encontros de forma a fazer uma brincadeira-séria-escrito-visual de suas vivências nas caminhadas pelo centro expandido.

 

POEMA/EXPERIMENTO C


POEMA/EXPERIMENTO C


 

POETA CONCRETO

MARCELO AVERSA


Marcelo Aversa é poeta por res(ex)istência e por insistência, pesquisador e consultor em políticas de planejamento urbano, de saneamento básico e de meio ambiente. Sem raízes, nasceu em São Paulo em 1971. Formado em Direito pela PUC (São Paulo), deixou de insistir na advocacia. Mestre em Planejamento e Gestão do Território pela UFABC (São Bernardo do Campo), onde cursa atualmente o doutorado, com pesquisa sobre história institucional do saneamento e relações de poder no acesso à água e ao saneamento. Como poeta que está no mundo, poema e poesia é uma autorreflexão que se concretiza entre a palavra, a imagem, o processo, o instante e a antipoesia, entre a vida e a morte. A participação em cursos, como o “Poesia Expandida” da Casa das Rosas em 2019, a participação no Coletivo Bufo (@revistabufo), a publicação em revistas independentes e a veiculação da produção pelo Instagram (@marverzza e @contra.stes.poeticos) vem alegrando as trocas com amigues, poetas e artistas.

 

APEGOAMOR


BOLSONAROMATA


 

POETA CONCRETO

AL-CHAER


AL-Chaer, nascido em Uberlândia (1963), mora em Goiânia desde 1968. Mestre em Engenharia Civil, professor da PUC Goiás (desde 1989) e UFG (desde 2009). Consultor e projetista de estruturas de Concreto Armado. Poeta desde 1981. Em 2006, lançou o livro “Partitura”. Produz poesia visual desde 2005, divulgada pela internet, em livros didáticos e em participações em mostras nacionais e internacionais.

 

LIBERDADE DE EXPRESSÃO


MEU AMOR: TeU


 

POETISA CONCRETA

MÔNICA VAZ


Mônica Vaz (Belo Horizonte, 1982) é bacharela em Artes Visuais, com habilitação em Artes Gráficas, pela UFMG (2008). Fez mestrado em Estudos Literários, também na UFMG, onde defendeu, em 2013, a dissertação Poemas em liberdade: Relações entre as linguagens verbal e visual na poesia futurista italiana. É doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Arte/UFMG, onde pesquisa imagens de violência de Estado na América do Sul de 1980 ao presente. É artista gráfica e tem interesse pelas relações texto-imagem, arte-política, arte-história. Em sua produção artística, procura tensionar passado e presente, deslocando frases, poemas e imagens para demonstrar como o antes persiste no agora.

 

NUNCA MAIS


ARDE


 

POETA CONCRETO

JOAQUIM BRANCO


Joaquim Branco nasceu em Cataguases MG a 25 de maio de 1940. É poeta, crítico e professor de literatura. Autor de vários livros, entre eles: Passagem para a Modernidade, Jogo de palavras, Uma Verde História, Totem e as vanguardas dos anos 60/70. Colaborador em suplementos literários do Jornal do Brasil, O Globo, SLMG-Suplemento Literário do Minas Gerais, Tribuna da Imprensa e outros. Participante de antologias poéticas no Brasil e no exterior. Atuou nos movimentos da Poesia Concreta, Poema-Processo, Arte Postal e outros. Editor de inúmeros jornais literários como O Muro, SLD-Suplemento Literatura Difusão, Totem, Tabu, nas décadas de 1960 e 70.

 

AÇÃO ENTRE AMIGOS


ÉCLOGA


 

POETISA CONCRETA

STELLA MARIA GASPAR


Natural de João Pessoa - Paraíba. Pedagoga. Professora adjunta da Universidade Federal da Paraíba do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia. Mestre em Educação. Doutora em Educação. Pós-doutorado em Educação. Escritora e poetisa. Autora do livro “Um amor em poesias como uma Flor de Lótus”. Autora de livros Técnicos e Didáticos na área das Ciências Humanas. Coautora de várias Antologias. Colunista do Blog da Editora Valleti Books. Colunista da Revista Internacional The Bard. Apaixonada pelas letras e livros encontrou na poesia uma forma de expressar sentimentos. A força do amor e as flores são suas grandes inspirações.

 

CÉU E MAR


 

57 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo

2 Kommentare


sidneicapella
sidneicapella
29. Juli 2022

Parabéns a todos!

Gefällt mir

Juliano Nunes
Juliano Nunes
25. Juli 2022

POE-MA vIS-UAL!

Gefällt mir
bottom of page