top of page

REFLEXÕES Nº 54 — 13/03/2023


 

AUTOR JOSÉ JUCKA SOULZ


José Juca P Souza, professor, ator, psicopedagogo, analista de sistema, ambos por formação acadêmica… Desde pequeno imbuído nas artes, com o desenho. Como profissional, agente administrativo no Ministério da Agricultura, técnico em edificações na Companhia Energética de Brasília. Assim segue, vendedor de tudo na infância (“triste realidade”), almoxarife, gerente lojista… Em seguida, veio o teatro, com poucas temporadas, lecionou artes na escola pública do DF, estando até hoje, trabalhando com informática, afastado de sala de aula… Embora escreva desde criança, com textos engavetados… Se reconhece poeta em um concurso para novos poetas, em 2019, classificado e publicado em uma determinada editora. Hoje providencia seu primeiro livro.

 

DISCUTIR OU NÃO DISCUTIR!


Discutir ou não discutir! Debater ou não, política, futebol e religião. Alguns afirmam, “não devemos discutir esses assuntos, pois não leva a nada.” e então?


Sócrates, na antiguidade, falava sobre o “bom” e “mau”, que não eram relativos, mas absolutos. Só podendo ser julgados por meio de questionamento e raciocínio. Assim, ligados pela moralidade e o conhecimento. Uma vida que não se questiona, é de ignorância e amoral. “Vida irrefletida não vale a pena ser vivida”.


Sendo assim, falemos de evitar conflitos. Por que as pessoas fogem das discussões? Gasta-se muita energia, gera-se bastante estresse, desgaste emocional, crises psicológicas, também, com autoestima, saúde mental de todos no processo é abalada. Enfim! Muitos fatores podem se debater.


Por outro lado, é um bom conselho não discutir? E a questão de Sócrates: “Vida irrefletida não vale a pena ser vivida”. Onde está o problema se eu sei que estou certo. Entretanto, o outro também se vê como certo. E neste contexto a discussão é infinda. Ao ponto de gerar todas as atribulações, anteriores, citadas.


Temos ainda um fator a piorar a discussão. Quando ela se amplia, chegando a intolerância, "perda de razão", confrontos acirrados, brigas, violência dos mais variados tipos.


Falando de intolerância, esta “é o mesmo que ausência de tolerância, é a falta de compreensão ou aceitação em relação a algo. Uma pessoa intolerante apresenta um comportamento de repulsa, repugnância e ódio pelo que lhe seja diferente.”

Ademais, devemos pensar se a solução não seria sair da discussão para melhor ponderação. Se está sendo construtivo o debate, se a discussão não é simplesmente para se ter razão, se o nosso conhecimento é de fato, se há reflexão sobre o conhecimento do outro. Se os meios pelos quais se busca informação são adequados, se existe ciência das leis e não, simplesmente, por dar ouvido a conversas de terceiros. Pensar sobre a sabedoria, ouvir mais que falar, informar-se mais, a querer ter razão. E no momento que a intolerância começa, algo não está sendo respeitado. E só há que questionar-se a intolerância com educação, cultura, política, economia, conhecimentos gerais e da própria “ignorância”... Inclusive, deste autor que vos escreve.


 




14 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 Comment


Texto ótimo. Sempre gostei de conversar com pessoas que tem opiniões diferentes das minhas. O problema é que hoje em dia o diálogo passou a ser discussão.

Like
bottom of page