top of page

BECO DOS POETAS Nº 19 — 09/06/2022

Atualizado: 15 de jun. de 2022

Poderosos poetas e poetisas, palavras que marcam, que emocionam, que não se calam... e fazem-nos sorrir!

Leia, Reflita, Comente!


Luiz Primati





OS ANIMAIS EM MIM


por Alessandra Valle e Luiz Primati


Sou pássaro,

Almejando o futuro,

Mas construindo meu ninho no presente.


Sinto-me peixe,

Fora d’àgua,

Quando o destino foge ao meu controle.


Precisei ser leoa quando,

Meu filho precisou de amparo,

E o casamento ficou abalado.


Agi como uma Fênix,

Ao ser visitado por um câncer,

E renasci mais forte.


Estou borboleta,

Para me transformar,

Permitindo-me recomeçar.


Instintivo como um cão,

Fiel à minha família,

Vigilante, enquanto a vida me nutrir.




LEMBRANÇAS


por Wanda Rop


Recolho-me em intensa solidão

Avessa às lascivas paixões frustrantes

Catártica com as lembranças do seu olhar

Efemeridade de um amor extasiante


Num sofrimento agonizante em meu âmago

Excitação profunda aflige minha alma

Imensidão de amor num triste coração

Saudade intensa sua ausência me causa


Amor do meu viver, alvo dos meus anseios

Apressa-te nesta desventurada vida

Minha carne delicada pela dor é consumida


De sinuosos sentimentos recordáveis

A miragem de sua indefectível voluptuosidade

Desse amor indiferente, suplico a liberdade




UM FELIZ POEMA DE AMOR


por Stella Gaspar


Sinto dentro da minha alma

O teu céu de aconchego

Deixando nuvens com brilhos de paraísos

Como um feliz poema de amor

Que deixa todas as minhas vontades

Com vontade de ti.


Uma positiva vibração

Com infinitas sensações

De fascinação e prazer.

Tu és tão belo

Que te vejo como se fosses

Uma eterna primavera.


Contigo vivo intensamente

Desde que te vi

Eu só vejo o amor, diante de mim.


No silêncio de minha alma amanhecida

Sinto a textura de teus lábios

E tenho a suprema felicidade

Em ter a convicção de que sou amada.


Ah! Viver e amar, melhor prazer não há.

Deixando-nos sentir pedacinhos de estrelas

Dentro da gente.


Penso e penso em ti

Quanto mais eu te penso

Mais eu quero te pensar

No vigor de toda a minha vida.


Um feliz poema

Tão íntimo

Tão nosso

Em teus braços seguros

Tens-me tua

De madrugada a madrugada

Estamos no mesmo infinito.

E é maravilhoso continuar com a tua felicidade

Que me faz descobrir

Que falar de meu amor por ti

Mantém-me em cada palavra

Que ainda não te falei.




CONSECUÇÃO


por Marcelo Girard


A alma procura a trilha da paz,

Não consegue abrigo.

É como semente de pão

Que não vira trigo.

O corpo procura uma carne

Que deseje se espetar.

É como vinho no cacho

Que não consegue embriagar.

O corpo tampa a alma

Como uma parede

Que quer balançar sem rede.

A alma está dentro do corpo,

Por isso não deve opinar.

É como um caixão

Que não consegue se matar.





À FLOR DA PELE


por Paulo de Brito


Sinto falta de quem eu era, mas não quero voltar a ser quem eu fui um dia, ele já não me cabe mais.


Eu não vou me desculpar por sentir tudo à flor da pele, quando relações pedem conexões e não o contrário,


Que se desculpe você, que passou por mim e não se lembra do gosto do meu nome.


Escrevo sobre dores porque já senti,

Escrevo sobre amores porque já os tive, antes que sinta as dores, antes que sinta os amores, leia o que aqui escrevo.


Eu juro que eu tento ter esperança

Mas sabe quando tudo te diz que não tem mais jeito?

Eu peço aos céus um sinal de que tudo vai ficar bem e esse sinal nunca chega;


O que vem é apenas o silêncio.


“O meu silêncio, foi o grito mais alto da minha dor”




NA CASA DA VOVÓ


por Sidnei Capella


Casa da avó, é bom demais Corro, brinco e durmo Tudo que vovó faz,

satisfaz... Casa de avó, não existe igual Sempre tem brincadeira nova Um passeio improvisado

A visita na casa da vovó É sagrado. Banana, mexerica, laranja, bolo de fubá, arroz-doce e pamonha Na casa da vovó

Como até jiló. A bronca na casa da avó, vira festa Obedeço às suas ordens, aceito os conselhos No final, tudo acaba em brigadeiro. Dizem que avó é tudo igual

Semelhante amor de mãe, incondicional Ficar na casa da vovó é fenomenal. A qualquer tempo O carinho pela vovó, é sem freio Quando a vejo, fico feliz. Por ela tenho muito respeito. Na casa da vovó, quando está calor: Bebo água gelada, tomo banho na bica A vovó deixa, mas a mamãe briga. Com um jeito encantador

Um olhar apaixonante

O cabelo branquinho Uma voz mansa

Avental na cintura A vovó é pura ternura.




HERMANA

(A LA MEMORIA DE LOURDES MERCEDES NATERA ALCALÁ)

por Breidy Lara Abreu


A un año de tu inesperada partida

te escribo querida hermana

está sentida y sencilla poesía

aún, herida y compungida el alma

porque son tristes las despedidas

porque es bien difícil aceptarlas

y además, cuando son intempestivas

no hay palabras de aliento que valgan.


Fuiste una mujer muy querida

una especial y maravillosa hermana

fuiste un regalo de la vida

una persona muy estimada

por toda nuestra familia

que te admiraba y respetaba

una buena y excelente hija

como todos los hijos, de Don Julio y Doña Paula.


Recuerdo, tus famosos guisos, que invadían

hasta el último rincón de nuestra casa

un manjar de dioses, una delicia

que a tu mesa, al mejor comensal invitaban

siendo para el paladar, una caricia

y todo aquel que lo degustaba

más nunca olvidar, podría

tu rica sazón, mi querida hermana.


Esos hermosos tejidos que hacías

que con paciencia y amor confeccionabas

y que de inmediato, a presumir salían

con todos los nietos, orgullosas, todas tus hermanas

porque eran sueños, lo que tus manos tejían

con tus prodigiosas agujas mágicas

caramba, como extrañamos esos días

no hay momento, en que no te recordemos, hermana.


Considero que fuiste una mujer bendecida

pues florecía todo lo que tocabas

quién como tú, con tu cultivo de rosas y orquídeas

que con su aroma, el ambiente perfumaban

haciendo más plácido, el compartir en familia

una taza de un rico café, de tarde o por la mañana

quién como tú, con una personalidad y carisma

y amor al prójimo, que de nuestras vidas hacían

un sinfín, de buenos propósitos, hermana.


Tu carácter sereno y peculiar sonrisa

tu forma de ser, transparente y llana

las fechas memorables, ya no son iguales ni parecidas

pues sentimos, que hay algo que nos falta

pero tenemos que continuar la vida

porque es la ley, así es como Dios lo manda

la certeza de reencontrarnos algún dia

aviva en nuestro pecho la esperanza.


Fuiste un ejemplo, a seguir en nuestras vidas

buena hija, buena madre, abuela y hermana

por eso tu memoria en este dia

queremos exaltarla y honrarla

pero lo vamos a hacer con alegría

para que se sienta regocijada tu alma

a un año de tu triste y repentina partida

nos refugiamos en tu amor, Lourdes querida

pidiendo fuerza y resignación, para poder aceptarla.




BEIJA-FLOR


por Miguela Rabelo


Quando fecho meus olhos

Lembro-me como se fosse agora...

Você chegando

com suas asas multicoloridas

Batendo-as de maneira frenética.

Sua elegância, inteligência e beleza

Fascinaram-me.


E assim todas manhãs

Esperava por tuas visitas em meu Jardim.

Perto de mim,

Guardei-te cofre do meu coração.

E meu maior orgulho era ter você

Perto de mim,

Alegrando os meus dias e noites

Com tuas canções.


Seus talentos e brilho me encantaram,

Despertando o melhor em mim.

Me fazendo, assim,

Ter orgulho de ser seu colibri...


No entanto,

Veio o tempo,

Rotinas,

Desgastes.

E palavras amassadas

E mal passadas...

Permeadas de frustrações

E amargas de tristeza e dor

Em pensar

Que aquele lindo beija-flor,

Que por anos assaltava minha janela...

desapareceu.

Deixando assim,

No seu lugar,

Um bombo caótico

E deprimido.

Que desconhece por completo

Seu valor.


Aquele valor e beleza que enxerguei

No beija-flor que era rico de talentos

E que deslizava suas asas

E entoava seu canto na minha vida,

Inebriando com delicadeza e carisma,

Enchendo meus olhos castanhos

De emoção

E admiração...


E hoje,

Depois de quase três décadas,

Pergunto-me

Onde o perdi?

Ou ainda,

Onde nos perdemos?

E esta interrogação

Não cala no meu coração.

Como um grito mudo,

Onde sorrio

Para não borrar a maquiagem...

Porém, minha alma sangra,

Sufocando as lágrimas que já secaram

Com o sol que bate todas manhãs,

Nos acordando e anunciando

Que a vida não para.


E que, independente de tudo que passou

E apesar de todos os pesares

E mágoas nesta caminhada,

Ainda assim,

Mesmo que de longe,

Consigo enxergar e ouvir

Aquele canto do beija-flor,

Pelo qual me apaixonei.


Mas sei

Que, apesar de estar casada com um pombo...

Sua essência é daquele lindo beija-flor.

E talvez seja está minha esperança,

De algum dia

O reencontrar...




MENINO DE RUA


por Rick Soares


E na calada da noite nada é silencio!

Sobre o papelão, sob alguns jornais de dias passados

que parecem serem os mesmos.

O silencio abre espaço para as lágrimas.

Não se ouve ninguém, não se vê ninguém

Um olho aberto e o outro sonolento.


Ah! Mas é só um menino de rua!

E o aperto que em seu peito dói

Esperando por alguém que não sabe quem?

E as mãos trêmulas que sequer

Conseguem segurar o jornal que o cobre?

E os sonhos que escorrem pelas calçadas

Todas as noites ao deitar-se sem esperança?


Ventos fortes... e o jornal se vai!

As mãos que tremulavam enfim estão firmes!

Os olhos sonolentos fecharam!

Teria sido o frio?

Teria sido fome?

Teria sido falta de amor?

Tantas questões agora surgem!

Ah! Mas era só um menino de rua!




PASSOS INCERTOS


por Regina Prado


Vislumbro, atônita, em silêncio

O ir e vir despreocupado

Ao mesmo tempo transloucado

Da turba que caminha buscando um destino

E que andam assim sem cuidado.

Sabem ao menos, por acaso

Onde levam seus passos?

Ou robotizados caminham por caminhar

De acordo com o coração em compassos?

Para onde te levam?

Onde querem chegar?

Porém nada importa enfim...

Apenas em se deixarem levar.




DISFORME


por Júlio César Barbosa


O quarto está frio.

Eu estou quase disforme sobre a cama, nu.

Tento puxar a coberta, não alcanço... mas o inalcansável mesmo são os sonhos que sonhei pra mim.

Hoje não me movo.

Hoje não saio daqui.

Hoje o tempo que pare, nem quero saber,

Se for preciso:

Quebro o relógio,

Desconsidero as certezas,

Destranco as portas,

Abro as janelas

Para que o vento cortante do inverno

Entre e congele a poesia em mim... para nunca mais.

E assim, não mais me verterei em versos, rimas e palavras.




É VOCÊ


por Simone Gonçalves


É você

o porto seguro que me acalma

quando em noites solitárias

vou até o encontro

dos sonhos que me levam até você

e com você

na minha timidez me deixo

ser conduzida pelo toque suave

de suas mãos à percorrer

meu corpo trêmulo por tanto te querer

e por você

procuro o sentimento mais puro

mais completo que possa lhe mostrar

o tamanho do meu amor

que nasceu aqui no meu coração

e para sempre será teu

só teu




ASPIRAÇÃO DO INCAUTO


por Ayadittrich


Ah como queria poder tocá-la

Sentir seu respirar

Bem pertinho do coração

Olhar fundo em seu olhar

Só para me encontrar

Fugir da vil solidão...

Há tempos que a procuro

Por horas e sentimentos

Percorro as planícies

Deste meu desassossego

Levo apenas uma pequena

Bagagem de mão…

Todo o meu viver

Dista anos-luz

Do pequenino mundo dela

Sol no amanhecer

Raio luzente na imensidão

Iluminando meu escuro ser…

Meu anseio é esbarrar

Na esquina dos

Pensamentos dela

Seus sonhos abraçar

Nem que este seja

Meu último devanear!




ALIANÇA


por Lucélia Santos IG: @poetisafalandodeamor


Não chame meu amor de exagero

Pois com intensidade e verdade eu amo

E é no teu grande

desespero

Que em ações meu amor eu proclamo


Hoje e sempre meu amor é constante

Não se altera diante das mudanças

Embora imperfeita e errante

Honrro a minha linda aliança


Nós somos um, uma só carne

Amor verdadeiro em grande excelência

Sentimentos e desejos que invade

E não se esfriam com as diferenças.




VERDADE! UMA QUESTÃO!


por José Juca


No íntimo do Ser a verdade!

Verdade a confundir-se pela subjetividade!

Ser a Ser, arraigado em cultura espontânea a conhecer…

Cultura erudita, também, se Vê....

Verdade grega, latina, hebraica…

Filosofias e crenças pautam erudição e lógica…

Verdade narrativa ceifada em possíveis vícios…

Ou ainda ditos fatos a florear relatos glórios…

O que é narrativa?

O que é realidade?

O que são fatos?

O que é dúvida? Certeza? E certeza?

A certeza está em Deus, no divino, nas profecias?

Tudo se comprovaria?

Se a fé, o que fazer com a comprovação?

Deus e religião, ciência-método, jurídico, ou tudo verídico/ inverídico?

E todos querem a razão!

Uns fundamentam, outros, não se faz necessário a questão!

O caráter responde! Índole! A palavra dada!

Escrita assinada e registrada!

Nada mais a servir, abordar ou falar…

Mas a dúvida persiste!

Bom caráter ou não?

Se questões de caráter, acreditar ou não!

Certezas se põe a mesa para dúvidas e discussão…

O homem é falho, falta-lhe consciência…

Da própria ignorância, arrogância, humildade, serenidade…

Entender sua verdade, como mais uma em profusão…

E se conseguiu responder, questões aqui em indagação…

Seus argumentos, fundamentos, lógica…

E principalmente silêncio, bom-senso, ausculta “realidade” e coração…

Auto-conhecimento para início de auto-avaliação.

Verdade! Uma questão!




NOSSOS COLUNISTAS


Da esquerda para a direita: Sidnei Capella, Paulo de Brito e Stella Gaspar. Depois Rick Soares, Júlio Barbosa e Regina Prado. Depois Alessandra Valle, Marcelo Girard e Breidy Lara Abreu. Depois Lucélia Santos, Luiz Primati, Wanda Rop, Miguela Rabelo, José Juca e Ayadittrich.

78 visualizações5 comentários

Posts recentes

Ver tudo

5 תגובות


sidneicapella
sidneicapella
09 ביוני 2022

Parabéns, a todos os poetas do caderno!

Está sensacional!

לייק

Stella Gaspar
Stella Gaspar
09 ביוני 2022

Sinto um grande mundo poético se abrindo. Novas experiências e novas muitas alegrias !

Obrigada, pela oportunidade: Luiz Primati e Alessandra Valle, que fazem a Velleti Books ser esse espaço mágico! 🎩

לייק

Luiz Primati
Luiz Primati
09 ביוני 2022

Bom dia amigos. Esse espaço cresce a cada semana. Agora, com nosso Podcast, a experiência rompeu a barreira dos olhos e atingiu também nossos ouvidos. Estamos repletos de palavras que confortam olhos e ouvidos e há quem diga que consegue sentir o sabor das palavras.


Ouça nosso Podcast no Spotify! Mais comentários por lá.

לייק

Alessandra Valle
Alessandra Valle
09 ביוני 2022

Quanta sensibilidade e experiência vejo nessas poesias. Os poetas e poetisas desse Beco, são inspiração na minha jornada.

Gratidão ao amigo, sócio, poeta, escritor, editor LUIZ PRIMATI, por me conceder a honra de escrever a primeira poesia conjunta da minha vida. Nossa parceria vai longe! 📚

לייק
Luiz Primati
Luiz Primati
09 ביוני 2022
בתשובה לפוסט של

Nunca fizera uma poesia em parceria com alguém. Foi muito gratificante. Obrigado Alessandra.

לייק
bottom of page