top of page

BECO DOS POETAS Nº 15 — 19/05/2022

Atualizado: 25 de mai. de 2022

Poderosos poetas e poetisas, palavras que marcam, que emocionam, que não se calam... e nos fazem sorrir!

Leia, Reflita, Comente!


Luiz Primati




CORRENTES


por Paulo Brito


Estou preso em minha mente, os pensamentos são as correntes que me prendem e me imobilizam. Vivo numa prisão sem muros, sinto-me sem forças, mas necessito continuar.


Nem sempre é preciso uma gaiola para nos manter trancafiado. Às vezes, as memórias são a forma mais poderosa de encarceramento.


Nós fazemos nossas escolhas diariamente e ficamos presos as suas consequências...


Sim, todo mundo uma hora precisa se despedir do passado, e ir em direção apenas ao futuro. Mas isso deveria ser uma escolha consciente, e não as consequências de um erro.


Às vezes eu queria poder voltar e mudar algumas atitudes e escolhas que fiz, mas infelizmente isso não é possível. O que resta é levar o aprendizado das escolhas e atitudes que tivemos no passado.


Mas quando entendemos que as pessoas fazem escolhas e VOCÊ decide se essas escolhas vão ou não lhe afetar, você entendeu tudo… agora...


O importante… é...


Não  desistir.




TENHO COMIGO


por Stella Gaspar


Canetas e papéis

Palavras escrevo, porque nunca as esqueço

Palavras de saudades

Palavras com excessos de alegrias

Revirando minha memória

Noite e dia.


E entre sorrisos e choros

Tudo pode ser fantasia.

A alma de um poeta é feita

De abstrações, de tudo que só ele pode ver.

Com inspirações longas

Ou curtas como bolhas de sabão

Tudo é tão bonito

Por isso, tenho comigo.

A contemplação das entrelinhas de uma poesia.


Tenho comigo

Palavras inesquecíveis

Que as escrevi em uma manhã brilhante

Ou em um pôr do sol, nostálgico.

A vida é assim, tristezas e decepções.

Protegida ou desprotegida

Caminhando pelos espaços infinitos

Ou tomando nosso vinho preferido

Sim, os risos leves

Deixam-nos mais ternos.


Tenho comigo

Uma grande alegria, que está cheia de vontade.

De viver, de ser também uma doce loucura.

Para olhos puros

Pintando o meu mundo

De cores que se abrem

Para as poesias que perfumam

Nossas felicidades ausentes.




O ÓBVIO


por Marcelo Girard


Atravessa o rio

Como uma pena.

Desafia, encoraja...

E não desiste.

Uma naja

Que com a beleza envenena,

Árvore que foi alpiste.


Assim é o poema: um óbvio que não existe.




EU E VOCÊ


por Sidnei Capella


Atirei-me nos seus braços abertos

Meu coração disparou de paixão

Com a alma inundada de afetos

Firmamos uma perfeita conexão.


Sutilmente cantei no seu ouvido

A doce e inesquecível canção

Delirei com o gostoso gemido

Apaixonados, íntimos na ação.


A metade que me completa

Apareceu-me na hora certa

Obsessão, amor que despertam.


Nossa noite não é incompleta

As juras de amor tudo falam…

Aos corpos que se conectam.




SE MENINA NÃO ÉS!


por José Juca


Se menina não é, menina foi!

Mulher é quem tu és, mulher não foi!

Quando menina, linda e singela...

Quando mulher, emponderada, formosa e bela!

Para a mansidão de seu lar,

A colaboração mútua é lei.

Sensibilidade, afeto e vulnerabilidade...

Riqueza, fortuna a admirar, seguir e incorporar.

Rio de calmaria estala-se sem fantasia!

De lar a lar,

Universo de caros, diria!

Mundo a enfrentar...

Dores a conviver...

Alegrias a enaltecer...

Simples sincera,

Adornada em aquarela,

Pintura a que ser bela...

Bonitim e quietim, o tanso machim,

Na gaiola comendo alpistim…

Todas as leis para o idiota da vez...

Mulher não és forte!

É singela, doce, afável, bela...

É mulher que pode... é “Mulher Maravilha”,

De pequeno porte...

Chiquinha Gonzaga,

Compôs e se expôs!

A sociedade que sucumbiu a rainha...

Cecília Meireles,

Escreveu... o mundo leu!

Leila Diniz atriz,

Preconceito quebrou!

Carmem Miranda,

Deusa em Hollywood, no Brasil, no mundo.

Bibi Ferreira,

Noventa e dois anos a trabalhar!

Pequenas grandes damas...

Dama é que és! Vida a seus pés!

Em brisa de mar, ou tempestade de areia,

Nobreza, caráter, altivez...

Só vocês...

Isso te permeia...

Está, como a certeza do luar, na veia...

Mas muito a conquistar,

De presidente a CEOs...

Escárnio ao sistema mandatário do problema

Liberdade não é ambição, é condição...

A vida tem ponto G

O gozo é feminino

O pulha tem que se conter

Meu corpo...

Minha identidade...

Meu ser...

Conversas e posts é...

Bela adormecida...

Bela e a fera...

Branca de neve e...

Os sete anões...

Bastidores a sustentar a fantasia...

O poder atavio sustenta...

É pra ser real, em suma, dê a vossa mestria.

O universo é das mulheres...

Em resumo supremo,

Recrie o mundo, com magia, sem utopia.




INACABÁVEL


por Rick Soares


Eu tenho um amor que não cabe em meu peito.

Eu tenho um amor que não cabe em meu corpo.

Eu tenho um amor que não é perfeito, que tem defeito e dói um pouco.

Eu tenho um amor que me molha os pés com gotas de orvalho quando menos mereço.

Eu tenho um amor que me recebe cansado quando amanheço.

Eu tenho um amor que também dorme quando anoiteço.

Eu tenho um amor que não irá conjugar o passado.

Eu tenho um amor e (ponto, ponto, ponto)

Um amor que não cabe (ponto final)

Porque eu tenho um amor que é tudo o que eu tenho e não está ao meu lado.




EL CAMINANTE Y PANCHA DUARTE

por Breidy Lara Abreu

IG: @breidylaraabreu


Un caminante llegó al Santuario de Pancha Duarte el sombrero se quitó se arrodillo a rezarle.


En medio de su oración se le escuchó suplicarle y en ese lastimero ruego lo oyó El guardián de Pancha Duarte.


El buen guardián observó que aquel triste caminante desesperado lloró hablándole a Pancha Duarte.


Ni una vela le encendió ni una flor para obsequiarle tan solo una humilde oración que le escribió y fue a llevarle.


El guardián se le acercó a ver si podía ayudarle y una vela le entregó para que pudiera alumbrarle.


Las gracias El caminante le dio a ese señor tan amable al recinto reingreso de rodillas a rezarle.


En ese tiempo que Oró sintió toda el alma quebrarse tras unos minutos consiguió las lágrimas enjuagarse.


Allí a Francisca le pidió lo ayudara a levantarse que intercediera ante Dios le habló cual hijo a una madre.


El caminante salió del templo de Pancha Duarte en la pila el rostro se lavó y aspiro tomando aire.


El guardián le aseguró que Francisca iba a escucharle lo bendijo cuando partió y él las gracias volvió a darle.


Mi sagrado Creador yo soy aquel caminante el de esa historia que hoy aquí he venido a contarles.


Creo en tu poder mi Dios y en tu Ángel Pancha Duarte confío en que la solución a mi caso voy a encontrarle.


Y vendré en otra ocasión con Rosas para ofrendarte gracias por oír mi oración gracias te doy Pancha Duarte.


(*) Marcos Díaz -El Guardián del Santuario de Pancha Duarte




ACREDITE


por Regina Prado


Nunca deixe de sonhar

Escute teu coração

Entenda e decifre exatamente

Onde ele mais pulsar.

Não se limite achando

Que nada pode ou consegue

Nada é impossível

Quando sente o forte bater

Do seu destemido coração.

Não se engane com sua mente

Sempre racional muitas vezes

Por consequência da vida, pensar igual.

Muitas vezes só falta um ato "louco"

Independendo de ser mais lógico

Para ser muito feliz na real!

Mas não espere nos outros

Tal possibilidade afinal.

És dono do seu sonhar

Sua alegria Jamais transfira

Muito menos a vontade de vencer.

Jamais se deixe nem se largue...

… em qualquer lugar!




SUBITAMENTE...


por Ayadittrich


A porta está fechada.

Lá dentro não há nada.

Só… e ao relento...

Lamento…

Apenas lamento!

Fostes...

Da mesma forma que vieste...

Subitamente…




DANÇAR


por Miguela Rabelo


É esparramar

Seu corpo

No ar...

Deixando assim

O vento

E o encantamento

Do tempo

Embalar

Pela canção

Ou, porque não

Do silêncio...

A expressão

Que palpita

Dentro daquele

Coração...


Dançar é deixar

A vida nos levar

Com todas

Tempestades

E dissabores

Que o roteiro

Pessoal

Não perdoa

Em imprimir...

Seja a caneta,

Na câmera ou

Na pele...


Por isso,

Dançar é se libertar

De tantas amarras

Que a sociedade

Nos Sufoca

O ar...

Para assim

Flutuar...

E Transformar

A dor...

Simplesmente

Em amor.




MEU SAMBA


por Júlio César Barbosa


E daí que a chuva chegou,

Que a tempestade caiu

E você não voltou.


O meu samba tocou,

Pra folia eu vou sem pensar no porquê...

A tristeza que espere


O dia raiar.

É a felicidade

Me jogando na rua

Só pra sambar.




PARA TI


por Alessandra Valle


Meus melhores pensamentos ou

Minha companhia no seu tempo.


As flores do campo para alegrar teu dia ou

Uma música com bela melodia.


Toda riqueza deste mundo ou

O sentimento de amor mais profundo.


A confiança de uma fé inabalável ou

A certeza de um futuro previamente calculável.


O prazer em êxtase guiado pelo instinto ou

A leitura de um livro acompanhada de um bom vinho tinto.


Mas, se ainda assim a vida não te fizer sorrir,

Para ti, desejo luz ao prosseguir.




NOSSOS COLUNISTAS


Da esquerda para a direita: Sidnei Capella, José Juca e Paulo Brito. Depois Stella Gaspar, Breidy Lara Abreu e Rick Soares. Depois Júlio Barbosa, Regina Prado e Marcelo Girard. Por último Miguela Rabelo, Alessandra Valle e Ayadittrich.

48 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 Comment


sidneicapella
sidneicapella
May 19, 2022

Meu coração transborda de Alegria ao ler este caderno!

Parabéns a todos Colonistas do caderno Beco dos Poetas!

Alessandra você é poetisa sim!

Obrigado! Valleti Books.

Like
bottom of page