top of page

BECO DOS POETAS Nº 11 — 21/04/2022

Poderosos poetas e poetisas, palavras que marcam, que emocionam, que não se calam...

Leia, Reflita, Comente!


Luiz Primati




QUERO VOCÊ


por Paulo Brito


Sem cartas na manga, sem teatro, sem roupa.


Mas não quero apenas seu corpo nu, quero despir sua alma, seu intelecto, seu temperamento.

Quero conhecer seu interior por inteiro, saber daquela parte que só se mostra quando está sozinha.


Permita-me viajar pela atmosfera tão linda que quase não transparece, me deixe adentrar os muros fortificados que você usa como defesa.


Eu sei que já se machucou demais por aí, por aqui, pelo mundo.Todos nessa vida serão feridos e irão se despedaçar também.


É por isso que precisamos escolher quem irá nos dar conta do estrago e estará ao nosso lado no processo de cicatrização.


Eu escolhi você, e escolho todos os dias. Me escolhe? Quero você. Sem pressa, sem hora, sem fim.



SENTINDO O SABOR DE VIVER


por Stella Gaspar


Sentindo o sabor de viver

Recebendo teus sorrisos

Poetizando meus lábios

Sabor mágico do amor

Que nos deixa inseparáveis.


Sentindo o sabor de viver

Namorando sob o manto de enormes

Constelações de estrelas

Apossando-nos de nossos corpos

Que mudam de cor

A cada aprendizagem de amor.


Sentindo o sabor de viver

Em cada anatomia de nossas palavras

Com o frescor de nossas emoções

Ah! Como é maravilhoso, esse sabor.

Com a tua beleza

Banhada pela luz do espetáculo

Do mundo de nossas almas.


Sabor de viver

Eu e tu

Parte com parte

Do que ouvimos um do outro

Imagine o nosso agora

Somos como o canto

De uma música erudita

Respirando com o oxigênio do amor.


Sentindo o sabor de viver

Com fantasias românticas

Cultivadas nos nossos cinco sentidos

Que extraordinário prazer

Tão sutis, nos levando.

Para o deleite do perfume das flores.




ZÉ DO PÃO


por Sidnei Capella


Zé do Pão é sujeito bom! Acorda Cedo, dia a dia… A moto dele é uma padaria. Sonho, pãozinho e bisnaguinha Passa na minha casa todos os dias.

Também na casa da minha tia. Zé do pão é pura alegria Sempre sorrindo é simpatia Leva o pão com toda energia. Entrega o pão fresquinho

Ele marca na caderneta! O Zé é um cara porreta. A criançada se diverte Quando o Zé do Pão passa Se tem dinheiro come

Quem não tem, come de graça. Conversar é com ele mesmo Não dá bola para tristeza

Aonde vai, leva leveza. Sujeito de grande bondade Que, transborda do coração. Não muda de cidade não! Meu amigo, Zé do Pão.




INCONGRUÊNCIA


por José Juca


Comungamos de atenção cálida e mútua

Trocamos compenetrados olhares enigmáticos

De querer admiração carinho que mais flutua

Fugazes adormecidos em valores éticos


De vidas estruturadas consolidadas

Adormece sentimentos incandescentes

Que a responsabilidade cala circuncidadas

Estando trajetórias escoradas em vias latentes


Um olhar questionador escapa a barca

Compenetrado em alvo de compêndio suposto

Onde o contraditório cela fugaz marca


E a vida nos ensina que a moral é o freio

Estando a razão habitada em vossos corações

E a explosão reside nos calabouços da alma




VELÓRIO DE BORBOLETAS


por Rick Soares


Todo o álcool ingerido não foi capaz de matá-las.

Forcei vomitá-las pelas esquinas,

mas não caíram pelas calçadas.

Suas asas não causavam mais leveza, a sensação era de pedras nas paredes do estômago.

Quis sufocá-las com mentiras, envenená-las…

Não o ingeri, mas tomei para mim.

Abri os olhos e começaram a sair e a caírem…

Mortas…

E sozinho as velei.

A todas velei.




DA MINHA JANELA


por Lucélia Santos


Quando abro as cortinas

Invade a luz de um novo dia

E imagino como ele será

Até chegar a longa noite sombria


Intrigantes são os passarinhos

Tanta alegria transmitem ao cantar

E as rosas ainda que com espinhos

Deslumbrantes as mulheres ficam ao ganhar.


Vejo cães que moram na rua

Felizes brincam rolando na areia

E esta tristeza que é minha e sua

Só nos permite ver a grama verde da vida alheia


Aquele casal, estão agora no portão

Ele a beija demoradamente e se despede para trabalhar

Se na vida sentimos rejeição

Coisas assim nos põe a chorar


Uma idosa voltando da padaria

Olha para mim e lindamente sorri

Suspiro forte e demostro alegria

O coração dela notou que eu estava ali


Aquela garota indo para a escola

A tristeza pesa os seus ombros

O seu pai querido foi embora...

Ela tenta recomeçar seus sonhos


E uma gestante da próxima rua

Deu a luz a um bebê

E ela se foi após tanta luta

Minutos após ele nascer


Aqui da minha grande janela

Tantas coisas consigo obervar e sentir

E meu dia para ser sincera

Está sim, sorrindo para mim


Assim dou uma voltinha dentro de casa

E enxergo tantas bênçãos que tenho

E com gratidão subo as escadas

E para um lindo dia me empenho.




HOMENAJE A JOSE ABREU CABEZA (JOTA)


por Breidy Lara Abreu
IG: @breidylaraabreu

I


Voy a empezar mi relato, hablándoles de un lugar

es un bucólico pueblo, cerquita de Pariaguan

es el Pao de Barcelona, a quien quiero mencionar

fundación de mis ancestros, tierra bravía por demás.


La historia del Pao remonta, a inmemorables tiempos ya

en sus páginas la gloria, le ha reservado un lugar

don francisco de Miranda, lo llego a representar

siendo electo diputado, por mi terruño natal.


Cuna de brillantes hombres, pero hay uno en especial

por su talla y gran valía, hoy lo quiero homenajear

nacido un mes de noviembre, en medio de un vendaval

a orillas del río Catuche y su cristalino caudal.


II


Su padre, Jesús Abreu, un comerciante sin par

parrandero, gran gallero, buen amigo y popular

el bachiller lo llamaban, hombre letrado y locuaz

de campo alegre hasta Vargas, de agua clara hasta el piñal.


Su madre, una costurera, de corte profesional

de coraje, reciedumbre, y un carácter sin igual

Eladia Cabeza Milano, fue una mujer ejemplar

ella guió siempre sus pasos, igual que un faro en el mar.


Mil novecientos cincuenta (1950), es una fecha crucial

es mi madre quien lo cuenta, y no lo olvidare jamás

José Abreu una mañanita, al Pao se trasladará

y con el tío la familia, rumbo a el Tigre emigrará.


III


Transcurridos siete años, se tiene que regresar

desde El Tigre a Merecure, por decisión familiar

para hacerle compañía, a Delfina en su soledad

Medardo el viaje emprendía, rumbo hacia la eternidad.


Por las noches escrutaba el cielo y su inmensidad

con lámparas de carburo, se solía iluminar

cuando la luz se extinguía, silente se iba a costar

buscando a tientas la hamaca, para pensar y soñar.


El hombre al que me refiero, ya lo voy a presentar

en el potro de mis sueños, hoy lo he mandado a buscar

allá a su fundo el Reencuentro, donde suele pernoctar

se apellida Abreu Cabeza, su nombre José Belchiman.


IV


José Jota es conocido, de su nombre es la inicial

un bohemio empedernido, curtido profesional

él contra viento y marea, sus metas logro alcanzar

por eso Jota es un hito, de referencia moral.


Jota un laureado docente, con magíster y algo más

la gente pregunta él le dice, siempre hay que perseverar

evoca los días grises, con calma y serenidad

cuando soñaba en su hamaca, poder crecer y volar.


Hoy día de tu cumpleaños, Jota quise remembrar

fragmentos de tiempos idos, que nunca vas a olvidar

deseándote tío y amigo, salud y Longevidad

y que hoy comiencen los años una estampida hacia atrás.




SOZINHA


por Lina Veira


Clamo ao silêncio que me aflige

Que se afaste por um instante

Clamo a saudade que me consome

Que se aquiete sem desenlace

Sem desfecho,  que não finde

Porque gosto de lembrar de você

Como a noite que se aproxima 

Como a luz de uma  vela sobre a mesa lateral

Como um vento que me domina

E me liberta de uma vez

Às  estrelas que me seguem

Peço felicidade

Não clamo nada ao tempo 

Nem ao canto dos passarinhos

Só preciso de um canto,

Um recanto

Uma esquina

Uma sombra

Um rascunho

Um poema no caminho  




I LOVE STORIES


por Ayadittrich


Alguém lhe perguntou:


Do que você mais gosta?


De gente!… (silêncio)


Qualquer uma?!?


Sim, qualquer uma… Ou melhor... todas elas!!!


Que coisa estranha... Alguém ficou a pensar!!


Mas as pessoas são muito diferentes umas das outras... Como consegue gostar de todas ao mesmo tempo?! Qual o motivo?!?


Esta pergunta é fácil, e a resposta é simples... Para mim elas são como livros. Cada qual com sua história principal e dentro desta há muitas outras recheadas de aventuras, dramas, suspenses, romances, ficções, enfim...


Cada livro que leio é uma viagem, um passeio. Alguns me acompanham dia-a- dia, outros, depois de lidos, seguem viagem dando vez para que outros os leiam...


Mas a parte que mais me agrada é adentrar nesta linda biblioteca e descobrir-me, também, sendo um livro que está sendo escrito e lido por VOCÊ meu querido, livro amigo, leitor!!




VESTIDA DE SOL


por Miguela Rabelo

E assim,

Como a primavera

Vem...

Iluminando e aquecendo

O inverno de outrora...


Ela vem,

Tentando ser luz

Em meio aos dias nublados

Que independe das estações

Tentam desbancar

As fagulhas de alegrias

Que insiste em cultivar.


Então...

Se veste de sol

E se perfuma

Com o aroma dos girassóis

E assim

Vai brilhar...

Independente dos olhos

Que vez ou outra vão

Marejar...


Ela teimara

Em continuar

A caminhar,

As vezes nadar

Ou até se arrastar...

Mas nunca,

Deixar de sonhar

Em voar....




NOSSOS COLUNISTAS


Da esquerda para a direita: Sidnei Capella, José Juca e Paulo Brito. Depois Breidy Lara Abreu, Lucélia Santos e Rick Soares. Por último, Stella Gaspar, Miguela Rabelo, Ayadittrich e Lina Veira.

91 visualizações7 comentários

Posts recentes

Ver tudo

7 Comments


jusejuca.ps1502
jusejuca.ps1502
Apr 22, 2022

Parabéns aos colegas por tão belos trabalhos. Grato pela oportunidade de estar junto aos mesmos. Abraço.

Like

miguelarabelo
miguelarabelo
Apr 22, 2022

Parabéns a todos pela coluna incrível e com esta fotografia maravilhosa! Me sinto lisonjeada de fazer parte desta família e recanto tão caro e especial! 😍🥰❤🙌

Like

Henrique Soares
Henrique Soares
Apr 21, 2022

Que leitura maravilhosa! Todos de parabéns pela construção de mais uma edição 👏🏽👏🏽👏🏽🌹

Like

breidylaraabreu
breidylaraabreu
Apr 21, 2022

Gracias, Gracias, Gracias, En primer lugar agradecido con Dios, por darme la capacidad de escribir y en segundo lugar a Valletibooks, por brindarme la gran oportunidad de pertenecer a esta familia y así el mundo pueda leer mis escritos.🌹🌹🙏🙏🙏

Like

sidneicapella
sidneicapella
Apr 21, 2022

Obrigado! Caros amigos colunistas. Vocês são pedras preciosas! Um beijo no coração de cada um de vocês: Juca, Paulo Brito, Breidy, Lucélia Santos, Rick, Stella, Miguela Rabelo, Aya e Lina Vieira. Gratidão ao Luiz Primati, Alessandra e Valleti Books.

Like
bottom of page