top of page

BECO DOS POETAS Nº 52 — 18/04/2024

Atualizado: 18 de abr.

Grandes textos, grandes poesias! Leiam, comentem, compartilhem!


Imagem criado com IAMidjourney
 

AUTOR LUIZ PRIMATI


LUIZ PRIMATI é escritor de vários gêneros literários, no entanto, seu primeiro livro foi infantil: "REVOLUÇÃO NA MATA", publicado pela Amazon/2018. Depois escreveu romances, crônicas e contos. Hoje é editor na Valleti Books. Em março lançou seu livro de Prosas Poéticas, "Melancolias Outonais" e o romance de suspense "Peter manda lembranças do paraíso" estará disponível em julho de 2024.

 

MORTE

Na sombra nebulosa entre a vida e a morte, onde os contornos se misturam em indefinições, somos puxados para um abismo vertiginoso. Como é possível que algo tão temido, o término da existência, nos seduza com sua promessa de escuridão? Cada passo em direção à beira desse abismo é um flerte com a aniquilação, cada pensamento um anseio de desaparecer no vazio que nos chama.

Estamos hipnotizados. A tontura que primeiro nos atinge transforma-se, através de algum sortilégio terrível, em um anseio mórbido. A morte, outrora um pesadelo de nossas noites inquietas, assume uma qualidade quase erótica; ela nos envolve em seus braços gelados, beija-nos com lábios de eternidade e sussurra promessas de silêncio eterno.

É o paradoxo mais atormentador: o próprio horror da queda, da aniquilação, torna-se o ímã que nos puxa em direção a ela. O sol que aquecia nossas almas agora parece frio e distante; a vida, uma sucessão de trivialidades insípidas. Apenas o túmulo mantém seu fascínio — o olhar que sempre voltávamos para ele se transforma, agora, em um convite silencioso.

Nossos ossos congelam na bruma que avança, nossos dentes se chocam no frio que corta como lâmina. E quando finalmente nos deixamos cair no abraço da terra dura, uma curiosidade terrível nos acompanha até o último suspiro: que segredos a morte irá revelar? O que nos aguarda na escuridão que engole tudo?

Aqui, meus amigos, repousa o mistério mais profundo: estamos, todos, destinados a cruzar esse limiar, a mergulhar nesse abismo. E assim, desaparecemos na névoa, apenas um sussurro em meio ao silêncio eterno.

 

AUTORA RIZZON RAMOS


RIZZON RAMOS, é alagoana da cidade de Penedo, atualmente mora em Itaguaí Costa Verde do estado do Rio de Janeiro. Escritora em verso, prosa e contos, autora de Rosas no Varal, coautores de Antologias, poeta, compositora, e apaixonada por fotografias.

 

DE PENEDO À PROPRIÁ


Por falar em rio,

Outro igual não há!

Rio São Francisco,

Que faz divisa

Entre Penedo e Propriá!

Meus olhos

Se enchem

De lágrimas

Só de lembrar,

Das tardinhas

Em que íamos

Até ele, para nos banhar!

Levávamos não só o corpo,

Mas também, levávamos a alma.

Ah! Que saudade danada que dá!


 

AUTORA GABRIELY BRANDÃO


GABRIELY BRANDÃO RAMOS, 28 anos, nascida em Itaguaí – Rio de Janeiro. Técnica em mecânica, poeta, participou da sétima e oitava edição da coletânea de jovens poetas na cidade de Itaguaí. Viu na escrita uma forma de expressão da arte e cultura. Escritora na antologia suspiros poéticos.

 

MULHER


Mulher o seu valor é inestimável

Mulher somos fortes !

Mulher Deus te escolheu pra gerar vidas,então você é bem aventurada.

Mulher nasceu pra ser amada e cuidado

Mulher desde os tempos mais antigos foi a criada da carne ,tem a sensibilidade o amor

Por isso precisamos amar e ser amadas.

Mulher aquela que sempre pensa com muita sabedoria.

E por isso vamos designadas com papel de ser mãe,irmã, amiga conselheira e Auxiliadora.

Uma base pra quem precisa.

Mulher a sua força vem de Deus pois só ele sabia

O quão forte você teria que ser, em determinados momentos da vida.

A todas as mulheres eu essa singela homenagem.

Mais que merecida por todo o trabalho.


 

AUTORA MARINALVA ALMADA


MARINALVA ALMADA é diplomada em Letras Português/Literatura e com uma pós-graduação em Alfabetização e Letramento pelo CESC/UEMA, encontrou no ensino a oportunidade de semear conhecimento e despertar amor pelas palavras. É professora nas redes públicas municipal e estadual. Tem como missão transformar vidas através da educação e da leitura literária. Deleita-se com a boa música, a poesia, a natureza, os livros e as flores, elementos que refletem sua personalidade multifacetada. Escreve regularmente no Recanto das Letras, participa com frequência de concursos literários, antologias e feiras literárias. Em 2023 realizou o sonho de publicar pela Valleti Books, o livro Versificando a vida, juntamente com as amigas Cláudia Lima e Zélia Oliveira.

 

LIVRO, OBJETO PRECIOSO


Gosto de pegar, cheirar, manusear

Sentir o peso, a textura.

Gosto de folhear, olhar a figura.

Gosto de vê-lo na estante.

Gosto de ler a palavra saltitante.

Gosto de dialogar com as personagens.

Gosto de ler suas passagens.

Gosto de livro de poesia, conto, novela, romance.

Gosto de ler todo dia.

Gosto de todo livro que me ensina e me ajuda a viver melhor.

 

 

AUTORA ZÉLIA OLIVEIRA


ZÉLIA OLIVEIRA, é escritora, poetisa, antologista. Pós-graduada em Língua Portuguesa, pela Universidade Estadual do Maranhão – UEMA. É professora nas redes públicas municipal e estadual. Membro Imortal da Academia Interamericana de Escritores (cadeira 12, patronesse Jane Austen). No coração de Zélia, a poesia ocupa um lugar especial, gosta de escrever, afinal, a poesia traz leveza à vida. Publica regularmente no Recanto das Letras, participa com frequência de antologias poéticas, coletâneas, feiras e eventos literários. Em parceria com as amigas Cláudia Lima e Marinalva Almada, publicou o livro Versificando a Vida, pela prestigiada editora Valleti Books. Instagram: @zeliamel25

 

KAYRON: AMOR SUBLIME


Kayron é um menininho

Lindo, moreno, risonho,

Muito especial.

Nasceu com Síndrome de Down,

Mas isso não faz diferença.

Ser diferente é ser normal.

 

Ele é muito fofo, gordinho,

Quem o vê, quer logo lhe dar carinho,

Colocar no colo, abraçar, beijar.

Quem olha para ele

É impossível não se encantar...

 

Os olhinhos lindos, pequenos, puxadinhos.

E essa flexibilidade?

Hum, ganha de qualquer bailarino!

O rostinho exala ternura,

Há muita doçura nesse ser.

Admirado por todos, quanta fofura!

Um menininho que chama muita atenção

É beleza em perfeição.

 

Pacotinho de amor,

Dádiva de inestimável valor

Que o Criador delegou

Para Kátia e Silas

Cuidarem com muito amor.

 

Muitos estão equivocados

Síndrome de Down não é doença,

É uma alteração genética.

Kayron chegou e tornou a vida mais poética,

Kátia ama cada detalhe seu...

Kayron é puro amor

Que na vida deles floresceu.


 

AUTORA SIMONE GONÇALVES


Simone Gonçalves, poetisa/escritora. Colaboradora no Blog da @valletibooks e presidente da Revista Cronópolis, sendo uma das organizadoras da Copa de Poesias. Lançou seu primeiro livro nesse ano de 2022: POESIAS AO LUAR - Confissões para a lua.

 

MEU OUTONO


Te fiz meu outono.

Minha estação preferida.

Poetizei cada momento.

Eternizei em meu coração.

Teu sorriso tão perfeito.

Registrei a cada passo.

Te mirando fixamente.

Cada detalhe do teu caminhar.

E ofegante à espera.

Do teu corpo sobre o meu.

Mergulhei em teu olhar.

Sem perder nenhum detalhe.

Gravei na alma tua voz mansa.

Que não cansa de dizer que me ama.

Fiz desse momento minha cena preferida.

Para sempre voltar e viver toda a emoção.

Todas às vezes que o destino permitir.

Nosso encontro acontecerá.


 

AUTORA STELLA_GASPAR


Natural de João Pessoa - Paraíba. Pedagoga. Professora adjunta da Universidade Federal da Paraíba do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia. Mestre em Educação. Doutora em Educação. Pós-doutorado em Educação. Escritora e poetisa. Autora do livro “Um amor em poesias como uma Flor de Lótus”. Autora de livros Técnicos e Didáticos na área das Ciências Humanas. Coautora de várias Antologias. Colunista do Blog da Editora Valleti Books. Colunista da Revista Internacional The Bard. Apaixonada pelas letras e livros encontrou na poesia uma forma de expressar sentimentos. A força do amor e as flores são suas grandes inspirações.

 

CHEGANDO NO TOPO DO AMOR


Com devaneios agradáveis

O encantamento é sem fim

Os olhos com olhares renovados

Veem nossos pertencimentos maravilhosos.

Ah, as telas de Claude Monet

Papoulas no campo de aveia

Atraentes, como suaves beijos

Percorrendo o meu corpo de amor

Com abraços aveludados.

Chegamos no topo do amor

Com as nossas almas livres

Amando estar entre o vento e o sol

Com sonhos de esperanças

Cativantes e épicas.


 

AUTORA MIGUELA RABELO


MIGUELA RABELO é uma escritora de crônicas, contos e poemas, com seu primeiro livro solo de poemas: "Estações". Também é mãe atípica e professora da Educação Especial no município de Uberlândia-mg.

 

ACASOS


A vida entrelinhas

Entre linhas

Entre

Linhas...

Num eterno sussurro

De se's suspensos

De uma exaustão

Tatuada na alma..

A espera, sempre a espera ...

Mas não a procura,

Apenas na espera

Do acaso....

Como o cruzar de linhas

perpendiculares em seus infinitos

Particulares...

Partícula de ares

Lares...

Ares...


 

AUTORA ELKE LUBITZ

IG: @elke_lubitz


ELKE LUBITZ LAUTERT é Catarinense natural de Rio do Sul, radicada em Jacareí (SP) há 40 anos. Formada em Pedagogia e pós graduada em Orientação Educacional e Pedagógica pelo Instituto Adventista de Ensino atual UNASP. É poeta, tendo seu trabalho publicado em dezenas de antologias no Brasil e pelo intercâmbio Brasil-Portugal. Possui um livro solo publicado em 2019 e o segundo livro terá seu lançamento em junho de 2024. Acredita no poder transformador da leitura.

 

EMILY: "A INFÂNCIA CONTÉM OLHOS QUE EMOLDURAM O INFINITO"

Nossa pequena protagonista, deixem que lhes apresente:

Seu nome é Emily, conta com cinco anos, possui uma frágil constituição física decorrente de muitos problemas relacionados à saúde, configurando um contraste com a sua mente cheia de vida e ávida por conhecimento. Desde muito cedo buscava explicações para o que percebia intuitivamente como infinito.

— Mãe, o que é isso aqui em cima da mesa?

— Uma concha do mar, minha filha. Tome cuidado, ela pertence ao seu pai.

Emily lança os bracinhos até o centro da mesa de jantar e aconchega aquele objeto ao ouvido. Que surpresa, que mágico momento, que espanto!

— Que barulho é este, mãe?

— É o barulho do mar, filha. Lembra daquele dia que vimos o mar?

A pequena menina não sabia onde poderia guardar toda aquela sensação que amalgamava espanto com encantamento. Era um assombro bom, uma sensação de infinito, de imensidão.

Me contaram que até os dias atuais Emily, já adulta, consegue beijar o infinito por meio das conchas do mar.

A casa da infância da pequena Emily, segundo a menina, possuía o maior quintal do universo, pois a partir dele percorria outros mundos e outras vidas, outros seres e novas histórias. Todo cenário externo era reflexo do seu íntimo. As flores aveludadas que ladeavam o quintal, a lua que lhe sorria em cumplicidade, as nuvens que formavam inúmeros personagens do seu reino particular.

Um reino perfeito, regido pela fantasia e pela beleza, o reino da felicidade, era assim que sua mente transformava a dor em alegria.

E por falar em dor, uma criança introspectiva sente angústia, não foi diferente para a nossa pequena. Ela sentia uma angústia que não conseguia exteriorizar. Refletia sobre seu cotidiano e vez ou outra (ou quase sempre) as coisas não faziam sentido para aquela mente “mirabolante”, e, tentando generalizar uma sensação, realizava um ritual que a acalmava.

Fazia gestos circulares com as mãos em sincronia com uns pulinhos e proferia as seguintes palavras:

Essas coisas esquisitas são “ASSIM-ASSIM”.

Ah, que lenitivo para essa alma errante, uma teoria que unificava o macrocosmo com o microcosmo do seu planeta interior. “ASSIM-ASSIM” era a sua eureca particular, sua força, a Teoria de Tudo, a descoberta de um novo mundo, um portal para a paz interior.

Neste instante eu, narradora, estou às gargalhadas… desculpem-me, fiquei empolgada…

Como narradora temporária das inquietações de uma garotinha, prefiro acreditar que o não lugar é o inatingível mundo das crianças, dos loucos e dos poetas. Olhássemos com mais atenção e respeito para estes seres iluminados, receberíamos da vida doses extra fortes de encantamento e amor. O mundo seria codificado por meio do Amor.

As crianças brincariam de roda-roda e os adultos concluiriam com a simplicidade infantil:

A vida é “ASSIM-ASSIM”!

Emily, curiosa e risonha, acaba de lançar mais um questionamento:

— Onde estão aqueles que ainda não existem?

Quem sorri agora sou eu. E esse conto não termina aqui, para a doce Emily, este conto é uma concha marítima que traz o infinito barulho do mar.


 

AUTOR WALTER BERG


WALTER BERG, (Valter Alves da Silva) Maranhense, nascido em São João do Sóter, na época município de Caxias-MA, é o quinto filho de Rosa Alves da Silva e Francisco da Silva, casado com a poeta professora Marinalva da Silva Almada, com quem tem um casal de filhos: Antonia Mariely e Juan Gabriel. Pai de Anny Rose Lima da Silva, avô de Luís Augusto. É professor mestre em Educação, poeta e escritor contemporâneo, sotense e caxiense com formação na área de Letras, especialista em Educação do Campo e Metodologia do Ensino de Língua Espanhola. Especialista em Administração, Supervisão, Inspeção e Coordenação Escolar. Atualmente é gestor pedagógico na U.I.M. Raimundo Severo Magalhães no povoado Pedras no município de São João do Sóter-MA. Tem textos publicados no Recantos das Letras. Vencedor do prêmio NOVOS POETAS 2017 da Editora Vivara. Participante coautor das Antologias “Essência Poética” um projeto de Cema Abby, “ Universo da Poetisa e poetas convidados” Vol.II de Alessandra Brander, Publicado pela COMPOSE EDIÇÕES LITERÁRIAS- Olinda Pernambuco 2019.

 

O SER VERBALIZADO

 

Os dois em uma só carne,

Amando, aceitaram-me.

Mulher! Que emoção maternal!

O ser verbalizado pulsou.

Criou cérebro, bateu o coração.

Vida sim, aborto não.

 

Desenvolveu-se e nasceu

Deixaram vim ao mundo

Sentir a beleza da vida!

Ser bebê, criança e adolescente,

Ser gente!

Aprender viver, conviver,

Amar, respeitar e ser tolerante.

 

Ser adulto civilizado

Educado e instruído.

Ser feliz,

Saber amar

E ser amado.


 

76 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 comentario


É para mim, um privilégio participar desse "Beco", tão enaltecedor e poético!

Parabéns pelas belezas, 😍 poeta e poetisas!

Me gusta
bottom of page