top of page

REFLEXÕES Nº 86 — 15/10/2023


Imagem gerada com IA MidJourney


 

AUTOR AKIRA ORDINE

IG: @akirasordine


AKIRA ORDINE é um escritor, poeta e músico carioca. Desde cedo apaixonado pela literatura, utiliza a arte como espaço de luta e refúgio, colocando bastante de si em tudo o que escreve. Tem muitos livros, vários deles, verdadeiros amigos.

 

PASSARINHOS E CARNICEIROS


O escritor, esse pássaro sofrido

Vive forte, pequeno, destemido

Dia após dia com seus grãos de amido

Sendo por vezes invisibilizado

E lutando contra os carniceiros vorazes


É uma tarefa árdua, repleta de revezes

Um voo alto feito com pequenas asas

Que porém não devem ser subestimadas


Enquanto os carniceiros sobrevoam

Prontos para o ataque, o pequeno pássaro

Resistente, segue num ar por vezes rarefeito,

Escasso, mas sem perder sua rota


É verdade, às vezes ninguém o nota

E ele fica a ver navios, esquecido

Ou morre de vida desistida


Porém, é muito mais bonito do que

Aqueles feios, que vivem no lixo

Se alimentando de restos

E vivendo de predatismo


Assim,

O pequeno pássaro continua resistindo

Tal qual o escritor na sua vida


 

AUTORA ARLÉTE CREAZZO

IG: @arletecreazzo


ARLÉTE CREAZZO (1965), nasceu e cresceu em Jundiaí, interior de São Paulo, onde reside até hoje. Formou-se no antigo Magistério, tornando-se professora primária. Sempre participou de eventos ligados à arte. Na década de 80 fez parte do grupo TER – Teatro Estudantil Rosa, por 5 anos. Também na década de 80, participou do coral Som e Arte por 4 anos. Sempre gostou de escrever, limitando-se às redações escolares na época estudantil. No professorado, costumava escrever os textos de quase todos, para o jornal da escola. Divide seu tempo entre ser mãe, esposa, avó, a empresa de móveis onde trabalha com o marido, o curso de teatro da Práxis - Religarte, e a paixão pela escrita. Gosta de escrever poemas também, mas crônicas têm sido sua atividade principal, onde são publicadas todo domingo, no grupo “Você é o que Escreve”. Escrever sempre foi um hobby, mas tem o sonho de publicar um livro, adulto ou infantil.

 

O LADO BOM DO PESSIMISMO


Sempre fui uma pessoa otimista de carteirinha e nunca entendi o lado do pessimista.


Convivo com alguns pessimistas cuja frase mais dita por eles é:


— Acho que não vai dar certo.


Pessimistas são cheios de achismos, infelizmente de forma negativa.


Mas recentemente conversando com um amigo, ele me explicou o porque de ser pessimista.


Segundo ele, o pessimista está sempre no lucro.

Vou explicar.


Dois vizinhos: um otimista e outro pessimista, moram em um bairro onde passa um rio bem próximo.


O otimista quando não está em casa e começa a chover torrencialmente, ele imagina que nada acontecerá com sua casa, que ela não será invadida pela água, que todos os seus móveis estarão secos e seus eletrodomésticos intactos quando voltar.


O pessimista por sua vez, ao iniciar uma leve garoa, já imagina sua casa sendo invadida pela água, seus móveis sendo arrastados pela enchente, seus eletrodomésticos todos sem funcionamento devido a curtos causados pela invasão da água, que em seu pensamento chegou até o teto, fazendo com que todas as lâmpadas estourassem, sua moldura linda em gesso se tornasse pó e a água passasse a entrar pela laje indo até as telhas da casa.


O otimista ao chegar em casa e ver que infelizmente a água invadiu sua residência, estragando alguns móveis e sujando sua casa, com certeza ficará decepcionado por não encontrar a casa da forma que imaginou.


Em contrapartida, o pessimista chegando em casa e se ver na mesma situação que o otimista, ficará feliz, por descobrir que ao invés de três metros de altura a água atingiu apenas dois.

É como sempre digo: tudo na vida tem seu lado bom.


 

AUTORA LUCÉLIA SANTOS

IG: @poetisafalandodeamor


Lucélia Santos, natural de Itabuna-Bahia, escritora, poetisa, cronista e contista e antologista. Escreve desde os 13 anos. É autora do livro "O Amor vai te abraçar" e coautora em diversas coletâneas poéticas. Seu ponto forte na escrita é falar de amor e escreve poemas e minicontos infantis.

 

RAQUEL


Quando enfim você chegou

Ganhou mais cor o nosso mundo

Tão pequenina,Deus nos presenteou

Tanta emoção, tanta alegria e amor profundo


Andei por um arco-íris de alegria

Chuva de prata caiu sobre mim

Seu choro para mim é melodia

Não esperava por um milagre assim


Quando ela sorri, arranca sorrisos meus

São instantes de paz e calma

Um pacotinho de amor nasceu

E nessa canção meu coração embala


Como na primavera Ilumina as áreas floridas

É como raio de sol, tão bela

É mais um motivo de vida.

 




16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page