top of page

REFLEXÕES Nº 45 — 06/11/2022

Leia, reflita, comente!

 

AUTORA MIGUELA RABELO

IG: @miguelarabelo


Miguela Rabelo escritora de crônicas, contos e poemas, com seu primeiro livro solo de poemas: "Estações". Também é mãe atípica e professora da Educação Especial no município de Uberlândia-mg.
 

MEU PARTIDO É UM CORAÇÃO PARTIDO


Era véspera de eleições presidenciais e no fim da tarde fui com meu filho até o mercadinho perto de casa para comprar pães para café da manhã do dia seguinte.


Enquanto andávamos pelos corredores ouvi um homem de camisa amarela gritar o nome do seu candidato, dizendo que não ia deixar "ladrãozinho" tomar o poder. Ouvir aquilo me doeu tanto, pois aonde fomos parar? Porém, foi apenas o prenúncio do que se desdobraria nos atos subsequentes.


Então aguardávamos na fila do caixa, quando ele perguntou onde era o banheiro e a dona indicou ser próximo onde uma funcionária se encontrava.


Ele gritou: --- perto da boliviana?


Ela respondeu: não... e eles exclamaram juntos: -‐-Venezuelaaaana… dando gargalhadas na sequência... e um trailer dos últimos acontecimentos vexatórios vieram atona na minha mente... me despertando náusea de toda àquela situação...


Enquanto isso, uma criança de 4 anos comemorava seu álbum quase completo de figurinhas da copa, e a mesma moça parabenizava e dizia ter orgulho dele, enquanto ele se vangloriava dizendo ser o mais poderoso... como se o valor de alguém se medisse pelos seus bens… e não por quem ela é de fato… Mas, infelizmente na sociedade que vivemos as pessoas valem pelo que ostentam, e não por que são na sua essência.


Me lamentei pela triste realidade..., porém de certo modo errôneo, me senti aliviada do meu filho estar alheio a tantas narrativas vazias e gananciosas que uma sociedade capitalista nos impõe. Pois lá, no mundinho onde ele habita... só o que vale é a satisfação da alma nos detalhes genuínos da vida.


 

AUTORA ARLÉTE CREZZO

IG: @arletecreazzo


ARLÉTE CREAZZO (1965), nasceu e cresceu em Jundiaí, interior de São Paulo, onde reside até hoje. Formou-se no antigo Magistério, tornando-se professora primária. Sempre participou de eventos ligados à arte. Na década de 80 fez parte do grupo TER – Teatro Estudantil Rosa, por 5 anos. Também na década de 80, participou do coral Som e Arte por 4 anos. Sempre gostou de escrever, limitando-se às redações escolares na época estudantil. No professorado, costumava escrever os textos de quase todos, para o jornal da escola. Divide seu tempo entre ser mãe, esposa, avó, a empresa de móveis onde trabalha com o marido, o curso de teatro da Práxis - Religarte, e a paixão pela escrita. Gosta de escrever poemas também, mas crônicas têm sido sua atividade principal, onde são publicadas, todo domingo, no grupo “Você é o que Escreve”. Escrever sempre foi um hobby, mas tem o sonho de publicar um livro, adulto ou infantil.
 

PEDIR E AGRADECER


Desde pequenos nos acostumamos a pedir de tudo.


Pedimos colo, comida, carinho, brinquedos, roupas.


Adultos passamos a pedir emprego, oportunidade, amizade, e muitas vezes carinho também.

Sempre sentimos necessidade de algo que pensamos nos faltar.


Nos sentimos sempre incompletos.


Mas será que agradecemos tanto quanto pedimos?


Muitas vezes quando alguém nos faz um favor, nos esquecemos de agradecer adequada ou propositadamente, pensando que não foi feito mais do que a obrigação.


Acreditamos, apesar de crescidos, que as pessoas ainda têm um dever a cumprir conosco.


Sentimos tanto a falta de coisas que não temos, que não percebemos que o que temos é o que verdadeiramente importa.


Quando pequena ouvi uma frase de meu pai que guardei na memória – NÃO TENHO TUDO O QUE AMO, MAS AMO TUDO O QUE TENHO.


Saber valorizar aquilo que temos nos dá leveza e paz.


Será que precisamos de tudo o que não temos?


Dizem que a grama do vizinho é sempre a mais verde, mas aprendi que a grama mais verde é aquela que regamos.


É claro que aprender a valorizar o que temos leva tempo, é um eterno aprendizado.


As pequenas coisas é que são as mais valiosas. O simples fato de acordarmos pela manhã e termos um novo dia para corrigirmos erros e aproveitarmos oportunidades, já é um tesouro.

Com o tempo, percebi que quanto mais pedimos, mais nos desesperamos por acreditar que nos falta muito.


Mas ao agradecermos por tudo o que temos, percebemos o quanto somos ricos.


 

AUTORA JOANA PEREIRA

IG: @temjuizo_joana


O meu nome é Joana Pereira e sou autora no blog "Tem juízo, Joana!". Nasci em Lisboa e segundo as estrelas, sou Leão - ascendente Touro. A minha identidade atravessa cores, ritmos, dança, música e palavras. Gosto de ler e de escrever, acreditando ser na escrita que me torno mais consciente. Numa voz firme e rebelde escrevo entre o certo e o errado, da pequenez à plenitude, entre a moralidade e a indecência. Se tenho juízo? Prefiro perdê-lo…
 

TU


Tens um sol dourado no colo do teu abraço,

que me afaga os cabelos na noite escura,

Sentes a terra húmida no pé descalço,

Lágrimas que chorei devagar, contudo em fartura.


O passado habita nos teus olhos esverdeados,

Faz melancolizar-lhes a expressão,

acontecimentos que surgiram encadeados,

Que te distanciaram da missão.


Neles reside também a franqueza,

Que me fez acreditar de punhos cerrados,

Que a humildade é uma riqueza,

E só existe nos bolsos dos mais honrados.


O teu amor banha-se do que é primitivo

Vive do instinto e fases da lua,

Do premeditado é fugitivo

Nada melhor que o deixar que flua


Enrolamo-nos na areia quente

Deste amor que renasceu

O universo ligou-nos, por consequente

Eu sou tão tua, como tu és meu.


 

AUTORA LUCÉLIA SANTOS

IG: @poetisafalandodeamor


Lucélia Santos, natural de Itabuna-Bahia, escritora, poetisa, cronista e contista e antologista. Escreve desde os 13 anos. É autora do livro "O Amor vai te abraçar" e coautora em diversas coletâneas poéticas. Seu ponto forte na escrita é falar de amor e escreve poemas e mini contos infantis.
 

SUPERAÇÃO


Se encontrarmos um caminho que não tenha barreiras ou obstáculos, provavelmente ele não nos levará ao destino que queremos.


Cada obstáculo que vencemos na vida, nos faz crescer, nos ensina a resolver problemas, nos direciona à fase adulta, que é quanto atingiremos a madureza.


A nossa criança interior quer sempre fugir dos problemas, mas, o adulto, os encara e procura resolvê-los com sabedoria.


Não desanime ao surgirem dificuldades, pare e pense na melhor forma de agir, sem atitudes precipitadas ou desespero, pois pode nos levar à ruína.


É importante aceitar os problemas como parte da vida, mas, podemos procurar enxergá-los sob perspectivas diferentes, até mesmo encarar como oportunidade de aprendizado, como uma lição.


Não permita que o medo o impeça de prosseguir, que o paralise, ele é apenas mais um obstáculo.


É essencial acreditar, pensar positivo, troque a palavra "acho" por "eu vou", se criarmos dificuldades na nossa mente, vamos acabar focando nelas, no caminho e ficaremos sem ação.


À medida que nós superarmos cada desafio, veremos que tudo é possível, é só acreditar e não desistir.


 

AUTORA SIMONE GONÇALVES

IG: @apoetizar_se


Simone Gonçalves, poetisa/escritora. Colaboradora no Blog da @valletibooks e presidente da Revista Cronópolis, sendo uma das organizadoras da Copa de Poesias. Lançou seu primeiro livro nesse ano de 2022: POESIAS AO LUAR - Confissões para a lua.
 

FACES DA MULHER


Somos um jardim florido

Ah! Exalamos vida em abundância

Somos a calmaria após as tempestades

Que a vida coloca no caminho

Tiramos os espinhos da alma

Daqueles que num colo procuram,

Querem um momento que seja de paz

Sim, temos esse dom!

De alegrar, animar

Amar!

Quem ainda não descobriu esse nosso segredo

É porque ainda não percorreu a estrada que leva

Ao encontro do ser sublime que somos

Ou talvez... pelo orgulho que os cegam, de assumir que somos:

Guerreiras, corajosas, determinadas...

Batalhadoras, mas sem deixarmos de lado

Nossa essência de sermos femininas

E para quem diz que não somos tão perfeitas

Tão fortes ou algo que nos reprime...

Tolos! Somos a maior prova de resistência que existe nesse mundo

Somos gigantes diante de tantas batalhas

Somos o coração que pulsa sobre vidas, abraço que consola tudo e a todos

Um universo que conspira amor... por amor

Amamos de forma igual, sem distinções à nada

Somos como o mar, com ondas de perdão

E nessa imensidão oceânica podemos refazer a cada momento, nossa história.


 

19 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page