top of page

REFLEXÕES Nº 26 — 26/06/2022

Atualizado: 3 de jul. de 2022

Grandes escritores, grandes reflexões. Aqui, todas as vozes podem se expressar.


Leia, reflita, comente!

Imagem Instagram: Geração de Valor

Ouça este episódio










Bônus Track







EU SOMBRA


por Joana Rita Cruz


Nas últimas semanas

dormiu na minha cama

uma pessoa que eu desconheço

sendo impossível não a conhecer.


Olhou-se ao espelho,

do meu quarto

e eu vi uma janela quebrada

como o meu coração.


Percorremos o caminho de sempre,

as mesmas rotundas

e a ponte sobre o tejo

onde o rio me levou uma lágrima.


Nas folhas de papel desorganizadas

desenhamos umas palavras parecidas,

a caligrafia era igualzinha,

e como sempre me disseram: feia.


Mas não estávamos no mesmo lugar,

seriamos mesmo a mesma pessoa?

É que eu não gosto daquele sorriso,

aquele esticar de lábios vazios.


E ainda assim,

ele rasga-me a cara,

deixando linhas de expressão

que mais parecem cicatrizes.


Os meus olhos cruzam-se com os seus,

estarão igualmente enevoados?

Ou serão só as dedadas fantasma

nas minhas lentes.


E este aperto, esta dor

será que eu a sinto?

Será que esta pessoa...

a sente?


A quem pertence este abismo

onde mora o meu vazio.


Num poema triste como este,

saiu-me essa sombra do corpo,

talvez tenha fugido para outro mundo,

talvez se tenha fechado à chave.


Fechado à chave no meu coração.


De qualquer forma senti-me melhor,

como se os meus olhos fossem mais castanhos

e os meus lábios soubessem rir

e a minha alma estivesse unida.


Talvez ainda um pouco magoada,

como se tivesse feito

uma cirurgia

e faltassem tirar os pontos.


Mas sentia-me melhor,

no abraço de uma poesia,

sentia-me bem.




SÃO VÁRIAS AS PERSONAGENS QUE MORAM EM MIM


por Joana Pereira


Sou uma quantidade infinita de seres. Joanas do meu pequeno vasto mundo.


Faço-me acompanhar de todas, mesmo quando algumas decidem tirar uma sesta.


Na maior parte do tempo, gosto de ser a Joana extravagante, a de riso fácil. Com uns dentes enormes que ocupam toda a face. A que vive no mundo cor de rosa, cheio de optimismo e boa disposição. A que faz piada de tudo, a que dança ao som de qualquer música. A que consegue amar todos os seres da terra, de um amor que vai para lá das barreiras do julgamento.


Existe a Joana solitária, que gosta do silêncio. Que reflecte profundamente e brinca com as palavras num jogo de escrita. A joana que, no seu recanto, dá injecções de criatividade em todas as formas que sabe ser. Esta é mais sossegada e sensata, apesar de ter um turbilhão de pensamentos a passar-lhe a alma.


A joana obstinada, a que tem de fazer tudo a tempo e horas. A que se acha fortíssima e invencível pelo cansaço. Cheia de agendas e post-its, enérgica, não descansa até ter tudo terminado. Ela não gosta de se deitar cedo e tem dificuldade em adormecer.


Para contrabalançar, lá acorda a Joana sombria, a que vive no escuro com frio. A que acha o mundo triste e sem sentido. A Joana que vive com um saquinho de lágrimas escondido debaixo da cama, para ninguém ver. Joana, birrenta, que não quer amar, nem receber amor. Que critica todas as obras de arte feitas pela sua mão, que não reconhece valor algum.


Descobri uma Joana ansiosa também, com o cérebro a mil, faz trinta por uma linha para que tudo o que lhe passe pela cabeça sejam pensamentos aflitivos e angustiantes. Dos que fazem tremer as pernas e fazer o mundo desmoronar.


Logo vem a Joana que acha tudo possível. Esta, vive de sonhos, sonhos onde a sociedade tem uma estrutura diferente e o tempo não existe. Uma joana cheia de oportunidades, de afazeres por concretizar. Quer experimentar tudo, vivenciar o mundo, ser tudo, sem deixar nada a perder.


Quem sou eu? Sou um conjunto de todas estas Joanas e mais algumas. Conheço melhor umas que outras, mas trato-as todas por “tu” para que saibam do à-vontade que tenho junto delas. Aceito-as como partes de mim, partes que crescem comigo, que fazem parte da minha história, da história deste corpo.


Quem sou? Sou um dissabor de Joanas. Sou livre de não me limitar às Joanas que tenciono conhecer nesta fracção de vida. Porque, neste corpo, há sempre lugar para mais uma que me surpreenda e que me cabe a mim cuidar.


E tu? Conheces todas as personagens que habitam em ti?




SAUDADE


por Ipê


Saudade é sentir a presença do que não está.

Presença querida e desejada constatada do não haver.

Não é falta ou vazio nem o nada.

Saudade é o desejo de estar.

Saudade é o desejo de ser.




NA CONQUISTA DE SI MESMO


por Alessandra Valle


É tempo de crescer e rever alguns pontos da vida.

Avançar buscando a reforma íntima.

Perdoar-se porque errou.

E reconciliar, pois, é condição para avançar.

Amores, amigos não podem ficar esquecidos.

No processo de evolução, somos todos irmãos.

Minha luz ilumina a caminhada dos mais próximos.

A virtude em mim desperta é exemplo a ser seguido.

Para a transformação, reconhecer vícios é imprescindível.

Aceitando-se como é.

Mas, aprimorando-se sem cessar.

Que não falte lucidez para se autoanalisar.

E disposição para se encontrar.

Autoamor para desvelar os potenciais de força íntima.

E sabedoria para guiar.

O caminho e a verdade, Jesus revelou.

O amor, o Mestre exemplificou.

VEM E SEGUE-ME, disse encorajando – nos.

Conquistar a si mesmo está ao alcance do querer para ser.

Do esforçar-se para vencer.

Do viver para jamais morrer.


Fontes de consulta:

Evangelho de Mateus, 19:21

O Ser Consciente, de Divaldo Franco pelo Espírito de Joanna de Ângelis, ed. Leal.




POSTURA MENTAL


por Luiz Primati IG: @luizprimati


“Seja lá o que tivermos que enfrentar, se permanecermos unidos sobreviveremos”.

Guarde bem essa frase.


Pensamos no coletivo ou em nós mesmos?


Alguns pensamentos e atitudes acaba nos afastando de uma postura mental correta, o que não contribui em nada para o nosso crescimento. Geralmente agimos de maneira inadequada porque imitamos outras pessoas. O que ocorre na atualidade é o pensamento coletivo: se a maioria faz assim, também farei, pois, é o correto. Quem disse? Isso é manobra das massas e devemos refletir sobre tudo que ouvimos e vemos antes de imitarmos.


Quando pensamos em obter algum lucro, vantagem ou competir, pensamos em ganhar juntos ou sobre os demais? Desde muito pequenos aprendemos que a vida é uma competição sem fim, onde sempre superamos outras pessoas — pelo menos tentamos. O modelo mental atual só permite um vencedor, enquanto muitos são os derrotados. Isso não seria uma postura egoísta? Por que não podemos pensar numa forma onde todos sejam vencedores? O primeiro lugar no pódio é solitário. Obter vantagens sobre os outros não, fará você crescer. Ao invés de nos sentirmos solitários podemos praticar a solidariedade, a colaboração.


Competir ao invés de colaborar! Qual a sua reação quando um novo funcionário é contratado e você deve ensinar-lhe, o que sabe? Você tem medo de transferir o conhecimento e perder o seu emprego, ou realiza isso com prazer, confiante de suas habilidades? Lembrando de um pensamento de Sócrates: “Nenhum de nós sozinho, é tão bom quanto todos juntos!”. Ninguém é insubstituível e nunca conseguimos evitar o inevitável. Portanto, por que dificultar as coisas, se mostrando um ser-humano egoísta, mesquinho e medroso? Ao invés de competir, devemos nos unir, colaborar.


Qual o objetivo da vida? Acumular coisas ou o crescimento como ser-humano? Viver uma vida inteira para acumular bens materiais vai te levar até onde? Quando desencarnar levará tudo no caixão como praticavam os faraós? Que valor tem bens materiais e riquezas no mundo espiritual? O maior bem que pode carregar para o resto de sua existência é o conhecimento, praticando virtudes (bondade, paciência, benevolência, sinceridade, responsabilidade, etc.), defendendo a justiça e sempre ao lado da verdade. A evolução é lenta, onde superamos obstáculos diariamente, subindo um degrau por vez.


Desafios constantes são excitantes para as pessoas que não tem medo do novo. O ser-humano, através dos séculos, se acomodou e foge dos desafios. O Homo sapiens sobreviveu e o de Neandertal foi dizimado. Qual a razão, já que o segundo era muito maior e mais forte? Devido à união. O Homo sapiens usou a inteligência, se agrupando e planejando. Esse ato mudou o curso da história. Hoje fugimos do confronto, nos acomodamos no sofá de nossa sala, mergulhando na TV e evitando que algo atrapalhe nossa rotina. Para exercitar a nossa mente, proponho que façamos uma reflexão sobre uma imagem: você está caçando, com um arco e flechas e se depara com um dragão enorme. Qual seria o seu primeiro pensamento? Enfrentar ou fugir?


O dragão representa o problema e o caçador somos nós. Se temos medo do desconhecido sempre afirmaremos que o problema é muito difícil de ser resolvido. Se gostamos de desafios, vamos estudá-lo e resolvê-lo por etapas. Essa é a lógica: dividir um problema enorme em pequenos problemas e resolvê-lo gradualmente. Quando você menos esperar, o problema todo está solucionado. Se mesmo quebrando em partes menores ele se mostrar difícil, se una com outras pessoas para ajudá-lo. “A união faz a força” — diz o ditado.


O assunto parece inesgotável e prefiro parar por aqui e deixar que reflitam sobre o tema. A postura mental precisa ser corrigida antes que a próxima geração se torne tão alienada que fará a humanidade regredir. Acredite! Isso acontecerá. Não amanhã, nem daqui há 10 anos e como somos espíritos imortais, poderemos comprovar o que falo em encarnações futuras.


Sobre a frase do início do texto, quem a disse foi Maximus, o grande general da Roma antiga, interpretado por Russel Crowe, no filme “Gladiador”.




AMOR À NATUREZA


por Wanda Rop


Oh! Brasil de vasta beleza

País onde a natureza encanta

Milhares visitam esta terra

E se deslumbram do Norte aos Pampas


Num País com riquíssima biodiversidade

Muitos não observam as dores da natureza

Constantes desmatamentos e queimadas

Exterminando em nosso solo suas riquezas


Animais são extintos de forma alarmante

Atitudes inconsequentes e desumanas

A cobiça e o dinheiro são mais importantes

Que o futuro e a saúde de nossas crianças


Pessoas jogam lixos nas ruas

Poluem os lagos, rios e mares

E quando surgem as enchentes

Ousam reclamar de tantos males


É fundamental a preservação existir

Responsavelmente o meio ambiente proteger

Minimizando a destruição do nosso ecossistema

Com amor ao nosso país, suas riquezas enaltecer



RONDÓ DA VIDA


por José Juca


Vida e reconhecimento,

No nascimento, firmamento!

História iniciada…

Caminho do discernimento.


Vida e reconhecimento,

No nascimento, firmamento!

Segue como o rio, a jornada…

Navega e vence, o segmento.


Vida e reconhecimento,

No nascimento, firmamento!

A rota é um casulo em vida!

Ou um campo de pertencimento!

Certo que há sempre partida,

Com, sem ritmo ou merecimento!

Reconhecimento ou não, é vida!




MOMENTOS


por Simone Gonçalves


Sinto saudades...

Do que ficou guardado nas minhas lembranças

Da minha doce infância

Do céu que era mais azul

Do mar que era de ondas mais calmas...

Sinto saudades

Dos amores da época de escola

Dos beijos desejados que não experimentei

Amizades que se foram eternamente

E nem ao menos me despedi...

Sinto saudades

Ah! Daquele olhar carinhoso de vovó

Risadas soltas do vovô

Brincadeiras de quintal com os tios engraçados

Aquela amiga que morava ao lado

E que num dia triste me despedi a vendo partir

Num leito frio e solitário sob a ironia do destino...


Saudades

Eu sinto de mim mesma

Quando em sorrisos soltos

Sentia que a felicidade era algo tão fácil

Mas ao decorrer do tempo

Ia descobrindo que para os sorrisos fartos

Tinha que atravessar pontes altas e perigosas

Passar por caminhos de pedras afiadas

Para se chegar ao ponto desejado

Das conquistas e descobertas da vida


Valeu a pena enfrentar

Valeu a pena chorar

E se hoje ainda sinto saudades

Talvez seja o passado que às vezes

Gosta de me visitar

Tudo bem

Eu aceito essa tua visita

Porque de tudo que precisei passar

Enfrentar...

Hoje me sustenta para lá no futuro

Poder continuar em de vez em quando

Contar minhas histórias aos que vierem me encontrar...


Mas

Sei que de saudades

É normal também

Se viver...




A IMPORTÂNCIA DO NADA


por Arléte Creazzo


Já perceberam como o NADA pode ser muito importante na vida? Afinal o nada é o início de tudo.


Onde antes nada existia levantou-se uma casa, formou-se uma vila, surgiu uma cidade.

Ela não era nada, até encontrar seu caminho.

Nada havia no terreno, até que se plantou uma árvore.

Quando nada havia no rio, surgiram os peixes.

O nada nos contribui muito para que façamos algo. Nada sou, até que me levante e tome uma atitude.

O nada nos impulsiona.

Muitas vezes o nada nos salva também:

— Você viu o que a fulana fez?

— Não vi nada, não sei de nada.

O nada evita que façamos inimizades:

— Qual seu partido político?

— Desculpe, mas não entendo nada de política.

— O que você pensa daquele programa de TV?

— Não assisto nada de tv.

O nada pode ser imperfeito, sendo perfeitamente original.

Somos nada em constante mutação.

Nada é eterno, mas o nada pode ser infinito, e o infinito nada, nos transporta a dimensões inexploráveis, a lugares inimagináveis.

Somos nada diante do vasto universo, mas podemos aprender tudo, já que nada sabemos.

O nada nos dá a certeza de que tudo pode mudar.

O nada nos torna iguais, já que ninguém é diferente de ninguém sendo nada.

O nada nunca é vazio, já que é cheio de novas possibilidades, novas mudanças.

Até a distância se torna nada, se a vontade de estar perto é grande.

O tempo se torna nada, quando a partida não é necessária.

O nada é uma pequena parte de tudo o que somos.

Onde nada havia naquela tela em branco, o artista pintou sua obra.

Onde nada havia de som, criou-se música.

No palco não havia nada e com seu corpo o artista fez seu espetáculo.

O nada nos dá criatividade, nos dá vida, sem o nada, nada seríamos, nada faríamos.

O nada só não é vantajoso, quando não se faz nada com o nada.

E do nada surgiu uma ideia, que pode não ter nada de original, mas nada me faria escrever diferente, pois se tudo estivesse pronto, nada teria para ser escrito.




QUANDO TE VEJO


por Stella Gaspar


Quando te vejo sinto que somos um só: com os mesmos sonhos, ideais, angústias e medos... Com capacidade ilimitada de amar, cada vez com amor maior que o outro.


Olhamo-nos e nos acolhemos em abraços feito um laço de fita de seda sem limites ou fronteiras, para o amor realmente não tem explicação.


Quando te vejo despertas em mim tantas esperanças, tantas paixões que estão a cada momento a brotarem em todo o meu ser.


Afetivamente quando te vejo, meus olhos são estimulados pela tua imagem, pelo bem-estar que ela me causa.

Olhar-te e amar-te, que Arte mais bela!


Quero contigo me presentear com a tua companhia, em dias bons ou não bons, o meu coração precisa do teu, da tua forte luz.

Quando te vejo me sinto respirar por inteiro.


Para mim, sentir tantas emoções com o pensamento e o olhar, me faz sentir em luares, em caminhos profundamente multicolores sentindo que vale à pena olhar o amor encontrado, o que eleva a alma.


Adormeço, com as estrelas e ao acordar escrevo versos musicalizados com a beleza que existe em ti, porque quando te vejo uma história de amor profundo, se materializa com a intensidade do meu olhar em ti.


Quando te vejo, o mar me abraça, porque o infinito do amor me encontrou.




ACASO OU SORTE?


por Miguela Rabelo


Ontem enquanto ouvia o caderno de reflexões da Valletibooks, dois textos me chamaram a atenção por se encaixarem em como um, quebra-cabeças. Um reforçando o que penso e o outro me veio como resposta de encontro a um sonho utópico…


Por isso, o acaso se confirmou não ter sido por acaso aquele sábado inteiro chuvoso, naufragando com meus planos, me deixando melancólica e frustrada o dia todo. Porém, eu não imaginava que havia um propósito naquilo tudo... me forçando prometer para mim mesma que domingo, dando sol, ao menos 1/3 dos meus planos tentaria colocar em prática.


E assim aconteceu... o dia amanheceu radiante, e como combinado, reuni forças e disposição para sair de casa a tarde com destino final: uma praça em especial... a Praça da estação, que mesmo sendo linda, não me traz boas recordações…


E lá fomos, ele apreensivo com aquele passeio inesperado, mas curioso... fomos entregar o livro da querida artista @ropre que gentilmente nos acompanhou até a praça onde pudemos conversar sobre nossos projetos, correrias e a vida... e assim o Heitor se encantou com a serenidade desta sensível e talentosa artista.


Ele se divertiu em simplesmente correr pela grama e areia, não ousando explorar os brinquedos… mesmo tendo interessante. Então, se o "Acaso chuvoso" não tivesse atravessado meu sábado, não teria proporcionado este momento mágico em nossas vidas... me mostrando, que apesar das dificuldades, preciso me arriscar mais e assim também, lamentar menos aos imprevistos.


E quando ouço "O que aprendi da vida"... enxerguei o quanto queria ter tido aquela experiência de encontrar o pseudo "gênio" dos desejos..., pois um dos meus maiores sonhos era poder voltar no tempo com a bagagem de experiência que tenho hoje. Mas ouvir a argumentação do personagem sobre a incoerência deste retorno me vez entender que tudo tem seu motivo e necessidade de ocorrer. Como cada pessoa que cruza seu carinho... por isso, essa reflexão só reforçou a sensação que tenho de que se pudesse voltar no tempo e escolher se seria mesmo mãe atípica, sabendo de todas intempéries que iria passar… tenho a clara noção que sim. Pois, mesmo sabendo de todas dificuldades e tempestades... hoje sou alguém melhor Porque meu filho me ensinou a ser, trazendo um sentindo e propósito que anteriormente não havia…


Então, não é por acaso que me encontro exatamente onde estou e passei por inúmeros redemoinhos… tudo teve um exato sentindo de aprendizado e lapidação do meu ser que ainda se encontra em constante reconstrução. Por isso não seria a mulher que sou hoje se não tivesse passado por todas estações até então.


Reflexão construída inspirada nos textos de @alessandravalle_escritora e @luizprimati. Vale muito a pena ler ou ouvir.




PROVAS DA VIDA


por Lucélia Santos


A vida é uma prova difícil e relâmpago, não tem como decorar cada questão, porque elas sempre serão diferentes. Todos os dias uma nova surpresa, boa ou ruim. Não é possível aprender antes. Primeiro temos que passar pela prova, só depois teremos então aprendido.

A partir daí nos tornamos mais sábios e maduros.


Os obstáculos durante a vida é que nos ajudam a valorizá-la. Nos dão mais combustível para viver.


Além disso, colhemos o que plantamos, ninguém planta tomate esperando colher maçã, da mesma forma, não podemos plantar coisas ruins esperando colher coisas boas. É importante tomar boas decisões, fazer escolhas sábias. Somos espelho para nossos filhos, eles estão sempre seguindo o nosso exemplo.


Assim como para andar de bicicleta precisamos manter o equilíbrio, na vida é da mesma forma, é uma série de acontecimentos que nos marcam e nos ensinam a sermos mais fortes e equilibrados.


As perdas, deixam saudade, mas nos ensinam a valorizar quem está presente. Os golpes, nos ensinam a avaliar primeiro qual é o melhor caminho. As decepções, nos ensinam que não é sábio colocar nossa felicidade na mão de outra pessoa, porque todos somos imperfeitos e nem sempre vamos acertar. Criar expectativas só nos deixará mais ansiosos e desanimados. A doença, nos ensina que nosso corpo necessita de cuidados diários, precisamos nos amar.


Quando a ficha cai, aprendemos a valorizar um abraço, um sorriso, momentos especiais que só se vive uma vez e o que temos.


Coragem não é ausência de medo, é sentir medo e mesmo assim ter coragem de avançar para seguir na luta.


Agora que estamos mais preparados, teremos mais força e sabedoria para passar nas provas, tirar a melhor nota e escrever os pontos mais importantes.


Só não podemos desistir, porque nunca saberemos o resultado se não tentarmos.


Então, vamos continuar respondendo às provas da vida e aprendendo mais em cada uma delas.




NINGUÉM MANDA NO CORAÇÃO


por Rick Soares


Ninguém manda no coração!


"Fazer o quê? Ninguém manda no coração!"


Frase muito dita pelos apaixonados que se frustram com algumas escolhas.


Apesar de ser metaforicamente atribuído ao coração a responsabilidade das emoções, e isso pode até soar poético, mas, na verdade, as escolhas que tomamos, sobretudo as emotivas, são controladas pelo cérebro, mais precisamente pelo lado direito do cérebro.


Existe, de fato, uma tentativa de se eximir da responsabilidade por fazer uma má escolha e principalmente quando se fala em relacionamentos frustrados.


Enquanto o pensamento for esse de atribuir a culpa de uma má escolha ao coração, corre-se o risco de sempre se dar mal e acabar se apaixonando de novo por alguém que não vale nada.


É o espinho na flor.


Às vezes acabamos nos apaixonando por alguém que nos faz sentir bem, mas isso não é critério suficiente para um relacionamento. E se nos deixarmos levar pela emoção em tudo, entraremos em cada enrascada!


O conselho que dou é aprender a se apaixonar pela razão e não pela emoção.




AUSÊNCIAS


por Lina Veira


Ah se meus suspiros chegassem aos teus ouvidos

Atormentado de penas e zelos

De queixumes e ciúmes

Penas deixadas por tuas  mãos

lavadas pelo  vento  das  chuvas de ausências 




NOSSOS COLUNISTAS


Da esquerda para a direita: Joana Rita Cruz, Joana Pereira, Ipê. Depois: Alessandra Valle, Luiz Primati e Wanda Rop. Depois José Juca, Simone Gonçalves e Arléte Creazzo. Depois: Stella Gaspar, Lucélia Santos e Miguela Rabelo. Depois: Rick Soares e Lina Veira.

32 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo

3 Comments


joanapereira.ft
joanapereira.ft
Aug 17, 2022

Stella, parabéns! que lindo texto, simples e belo!

Like

luceliags5
luceliags5
Jun 28, 2022

Sinto uma emoção muito grande ao ler, tem palavras que nos tocam profundamente

Like

Stella Gaspar
Stella Gaspar
Jun 27, 2022

Mesmo que eu diga que os textos estão de excelência , não será o suficiente para dizer que estão maravilhosos. A forma de cada escrita é um formidável exercício mental e emocional. Eu aprendi tanto, com o teu texto Luiz, senti que o " nada " do texto da Arléte é "tudo". Gostei das emoções da Simone, principalmente escutando a sua voz. Enfim, palavras e sentimentos, em um profundo oásis de contentamentos. Obrigada escritores, poetas e pessoas de encantos, por seus grandes corações! 😍😍😍

Like
bottom of page