top of page

ESTÓRIAS DO VALLETINHO Nº 19 — 13/05/2023


A Valleti Kids tem a honra de apresentar a décima nona edição do caderno ESTÓRIAS DO VALLETINHO.


Os colunistas Alessandra Valle e Luiz Primati, apresentam contos para crianças, jovens e famílias.


Para celebrarmos o dia das mães, o autor Luiz Primati, traz a surpresa encantadora que o filho Mateus preparou para sua mãe, em FELIZ DIA, MAMÃE, enquanto a autora Alessandra Valle, nos faz refletir sobre um dia difícil vivido pela mãe da menina Bia, na história AS PROVAS DA MAMÃE.


Vamos nos encantar com as ESTÓRIAS DO VALLETINHO desta edição.


Mães, pais, responsáveis e educadores encontrarão boas histórias para divertir, educar e entreter a criançada.


Nesta edição, os autores se despedem, pois o caderno ESTÓRIAS DO VALLETINHO encerra suas atividades.


Em breve, todas as crianças conhecerão os projetos da VALLETI KIDS.


 

AUTORA ALESSANDRA VALLE


Alessandra Valle é escritora para infância e teve seu primeiro livro publicado em 2021 — A MENINA BEL E O GATO GRATO — o qual teve mais de 200 downloads e 400 livros físicos distribuídos pelo Brasil. Com foco no autoconhecimento, a escritora busca em suas histórias a identificação dos personagens com os leitores e os leva a refletir sobre suas condutas visando o despertar de virtudes na consciência.

 

A semana de provas na escola de Bia vai começar.


— Você precisa estudar muito — afirmava a mãe, repetidamente.


Mas Bia estava entretida com seus papéis, lápis e borracha, a menina só queria desenhar.


Com traços finos e firmes, demonstrava seu dom desde criancinha.


Agora, com dez anos, apresenta desenhos completos com muita destreza, mas pouco interessada nas aulas de língua portuguesa.


— Beatriz, pegue o calendário de provas e veja quando será a prova de português, pois você precisa se preparar com antecedência. Vou estudar com você — orientou a mãe.


Bia se mostrou assustada ao consultar o calendário de provas e com a voz embargada falou:

— A prova de português é amanhã!


A mãe deixou todos os afazeres da casa e do trabalho para mais tarde e organizou a mesa da sala para poder auxiliar sua filha durante o estudo.


Bia, imediatamente, deixou os desenhos de lado e começou a revisão do conteúdo na companhia da mãe.


Mãe e filha estudaram por mais de três horas até que toda a matéria da prova de português estivesse revisada.


Cansadas, a filha foi dormir, mas a mãe ainda precisava enfrentar outras provas da vida.


Começando pelos afazeres domésticos, a mãe lavou a louça do jantar, arrumou a sala e pendurou a roupa lavada no varal.


Findadas as tarefas do lar, a mãe checou as contas a pagar e se preocupou, pois havia esquecido de pagar a mensalidade da escola da filha.


Ao checar as pendências referente ao trabalho como secretária de uma clínica médica, percebeu que diversas mensagens de correspondência eletrônica lotavam a caixa de entrada do e-mail da clínica e por isso, passou a madrugada toda respondendo os clientes, não podendo se quer descansar naquela noite.


Ao amanhecer, a mãe acordou Beatriz com café da manhã e organizou o lanche para a filha levar para escola. Tomou banho, se arrumou e checou se tudo estava pronto para que pudessem sair de casa e recomeçar o dia.


A mãe dirigiu até a escola e deixou Bia, mas antes de se despedirem, a mãe desejou que Bia realizasse uma boa prova, dando-lhe um beijo na testa.


Tão logo Bia adentrou, a mãe foi resolver a mensalidade atrasada que havia esquecido de pagar, mas foi informada de que, infelizmente, haveria uma multa a ser paga pelo atraso.


Mesmo contrariada, a mãe pagou o que devia à escola e seguiu até o trabalho, mas no trajeto, percebeu que um dos pneus do carro estava vazio e precisou buscar ajuda em uma borracharia.


Atrasada para chegar na clínica onde trabalhava, a mãe não teve tempo de tomar um café com calma, apenas havia ingerido um copo de leite antes de sair de casa.


A fome que sentia, trouxe-lhe dor de cabeça e mau-humor, isso mesmo, a mãe de Bia quando fica com fome tem dor de cabeça e fica mal-humorada.


Ao chegar no trabalho, percebeu que havia esquecido de levar sua refeição e precisou pedir o almoço na pensão que fica ao lado da clínica, onde a mãe não gosta de comer, sabe se lá o motivo.


Para sua triste surpresa, ao consultar a caixa de entrada do e-mail da clínica, sua responsabilidade no trabalho, percebeu que outras tantas correspondências haviam chegado e lotavam a caixa novamente.


A mãe de Beatriz não teria tempo sequer para almoçar, neste dia, por isso, comeu barrinhas de cereais que estavam na gaveta e tratou de responder a todos os clientes da clínica.


A partir das quinze horas, passou a olhar o relógio de cinco em cinco minutos e cada vez mais se preocupava com o horário de buscar Bia na escola.


Exatas dezesseis horas, a mãe precisou ligar para a escola e informar que chegaria atrasada para buscar a filha, pois não havia conseguido terminar de responder a todas as solicitações do trabalho.


Com mais de trinta minutos de atraso, finalmente, chegou à escola.


Bia estava na recepção acompanhada de uma monitora e assim que entrou no carro percebeu que a mãe estava aflita.


Mãe e filha permaneceram caladas até retornarem ao lar, quando Bia interrompeu o silêncio com a novidade:


— Fui muito bem na prova, consegui responder tudo. Muito obrigada, mamãe.


Cansada de um dia difícil, a mãe sorriu e continuou a organizar a vida no lar.


Bia voltou a desenhar e ao findar, interrompeu mais uma vez a mãe atarefada:


— Quero te dar um presente — afirmou Bia.


— Mas o Dia das Mães é no próximo domingo — disse a mãe, desconfiada.


Bia entregou à mãe um desenho, tratava-se de uma mão estendida com frases escritas em cada um dos dedos.


A mãe passou a olhar com atenção e percebeu que as frases correspondiam a tarefas que regularmente realizava no lar.


Bia estendeu sua mão a fim cooperar nas tarefas domésticas e constatou que sua mãe estava sorrindo alegremente.


— Agora, mamãe, é a sua vez de me contar como foi seu dia e como se saiu nas provas da vida.


 

AUTOR LUIZ PRIMATI


Luiz Primati é escritor de vários gêneros literários, no entanto, seu primeiro livro foi infantil: "REVOLUÇÃO NA MATA", publicado pela Amazon/2018. Depois escreveu romances, crônicas e contos. Hoje é editor na Valleti Books e retorna para o tema da infância com histórias para crianças de 3 a 6 anos e assim as mães terão novas histórias para ler para seus filhos.
 

O dia das mães se aproximava, como uma estrela brilhante no horizonte. Gabriel e Mateus, os filhos de Natasha, almejavam fazer algo inesquecível para a mulher que lhes dava tanto amor e carinho. Por isso, recorreram ao papai, o coadjuvante perfeito para a surpresa.


— Papai, queremos presentear mamãe com algo grandioso! — Mateus anunciou, seus olhos brilhando com entusiasmo.


— Sério? E qual seria esse presente? — perguntou o pai, curioso.


— Algo tão grande quanto isto — Gabriel estendeu os braços até onde conseguiu, fazendo seu pai sorrir.


— Isso parece incrível! Mas vocês já pensaram no que será?


— Ainda não — respondeu Mateus, um tanto desanimado.


— Não se preocupem — assegurou o pai, com um sorriso acolhedor. — Vamos pensar juntos.


E foi assim que, nos dias que antecederam o dia das mães, a casa se encheu de segredos e risadas abafadas.


Finalmente, o grande dia chegou. A casa amanheceu em um silêncio estranho e Natasha sentiu uma pontada de preocupação. Onde estariam seus filhos? Ela percorreu cada canto da casa, chamando pelos meninos, mas não obteve resposta. A ansiedade se transformou em medo. Estava prestes a ligar para o marido quando viu um bilhete na geladeira.


“Mamãe, estamos no lugar onde o amor e a alegria da nossa família sempre se encontram.”


Com o coração acelerado, Natasha correu para a área da churrasqueira. E lá estavam eles. Gabriel, Mateus e o pai, escondidos atrás de um enorme presente, envolto em um papel brilhante. Ao vê-la, os meninos correram em sua direção, gritando em uníssono: “Feliz Dia das Mães!”


Natasha estava sem fôlego, mas cheia de alívio. Ao abrir o presente, encontrou um álbum de fotografias, recheado com momentos preciosos de sua família. As lágrimas de alegria escorreram pelo seu rosto, enquanto abraçava seus filhos e marido.


— Vocês me deram um susto e tanto! — ela riu entre as lágrimas. — Mas esta é, sem dúvidas, a melhor surpresa que eu poderia receber. Obrigada, meus amores.


E assim, o Dia das Mães se tornou um marco inesquecível para Natasha e seus meninos. Uma celebração do amor e da união, uma surpresa que permaneceria para sempre em seus corações.


 



20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page