top of page

BECO DOS POETAS Nº 47 — 14/03/2024

Grandes textos, grandes poesias! Leiam, comentem, compartilhem!


Imagem criado com IAMidjourney
 

AUTOR LUIZ PRIMATI


LUIZ PRIMATI é escritor de vários gêneros literários, no entanto, seu primeiro livro foi infantil: "REVOLUÇÃO NA MATA", publicado pela Amazon/2018. Depois escreveu romances, crônicas e contos. Hoje é editor na Valleti Books e retorna para o tema da infância com histórias para crianças de 3 a 6 anos e assim as mães terão novas histórias para ler para seus filhos.

 

LABIRINTOS MENTAIS

Na linha incessante do tempo, horas desfilam em silêncio, dias se desvanecem no éter, meses escapam por entre os dedos, e anos, ah, os anos se esvaem como grãos de areia numa ampulheta esquecida. Tudo flui, dança ao ritmo de uma valsa esquecida, onde o passado é um sussurro fugaz que mal toca os recônditos da memória. Na coleção de momentos, tudo parece tão recente, ainda que planos se desenrolem para o amanhã, o amanhã rapidamente se transforma em hoje, e o hoje, num piscar de olhos, já se tornou ontem. O agora é um rastro, uma linha tênue que se perde ao olhar para trás, um pensamento sempre à frente, escapando à velocidade da tinta que tenta capturá-lo.

Neste carrossel frenético, a perseguição ao tempo se torna minha sina, uma corrida contra o amanhã, tentando alcançar algo, ou alguém, que sempre se mostra inalcançável. Em meio a essa corrida, o dia de hoje se torna um borrão, pensamentos voam, corações palpitam, e ela... Ah, ela nunca deixa meus pensamentos.

Meus dias são labirintos mentais, uma busca constante por uma saída que parece não existir. Cada tentativa de escape revela apenas novos caminhos, novas paredes, novas vozes. A solidão emerge como um monstro, forçando-me a recuar, enquanto outros também perdidos, correm sem direção. Em meio ao caos, a voz dela ecoa, uma bússola que se perde na imensidão do labirinto.

Ela, Monica, torna-se a constante em meu pensamento, uma presença que transborda para o papel, que invade cada linha, cada palavra. Neste emaranhado de pensamentos, questiono a realidade das paredes que me cercam. Será que posso atravessá-las? Será que são reais? Ou será que são apenas criações da minha mente, buscando manter-me preso neste ciclo interminável de pensamentos e labirintos?

Mas então, a reflexão se aprofunda. A realização de que talvez eu esteja vivendo como se cada momento fosse o último. Cada gesto, cada pensamento, cada menção dela parece carregar o peso de uma despedida. No entanto, esse instante também passa, e com ele, a percepção da transitoriedade da vida, da impermanência das coisas, da frieza das interações humanas.

Talvez, essa percepção de finitude, esse anseio por viver cada momento intensamente, seja o que me leva a falar dela incessantemente, a me perder e me reencontrar nos labirintos da mente. Mas a raridade de encontrar almas que ressoam, de encontrar calor em um mundo frio, me faz ponderar sobre a jornada, sobre o desejo de partir, de voar, de escapar.

No entanto, a indecisão me ancora, a confusão me envolve, e me vejo, novamente, girando em círculos, preso em um labirinto do qual parece não haver escapatória. E nesse ciclo vicioso, a monotonia de falar sobre ela, sobre os labirintos, se torna uma reflexão sobre a própria existência. Voar, talvez, não seja a resposta, mas sim uma maneira de ver o labirinto de cima, de compreender seus contornos e, quem sabe, descobrir que a verdadeira saída sempre esteve dentro de nós.

 

AUTORA RIZZON RAMOS


RIZZON RAMOS, é alagoana da cidade de Penedo, atualmente mora em Itaguaí Costa Verde do estado do Rio de Janeiro. Escritora em verso, prosa e contos, autora de Rosas no Varal, coautores de Antologias, poeta, compositora, e apaixonada por fotografias.

 

OUTONO


Onde houver guerra

Vamos semear o amor.

Onde houver ódio

Vamos plantar uma flor.

Onde houver lágrimas

Vamos fazer poesias.

Há de chegar uma tempo

Onde colheremos só alegrias .

Enquanto esse tempo não chega,

Vamos cantar a certeza que dias melhores virão.

Quem sabe , palavras jogadas ao vento,

"Se Ler Em Voz Alta".

Vai chegar em algum momento dentro de um coração.


 

AUTORA GABRIELY BRANDÃO


GABRIELY BRANDÃO RAMOS, 28 anos, nascida em Itaguaí – Rio de Janeiro. Técnica em mecânica, poeta, participou da sétima e oitava edição da coletânea de jovens poetas na cidade de Itaguaí. Viu na escrita uma forma de expressão da arte e cultura. Escritora na antologia suspiros poéticos.

 

AMAR VOCÊ

Amar você é um verdadeiro prazer!

É acordar e todos os dias viver a felicidade que é ter-te ao meu lado.

Amar você é não poder dimensionar tamanho querer.

E falando em querer...

Como eu quero acordar ao seu lado,e juntos colocarmos em prática todos os nossos sonhos e planos e pode contemplar o, mas belo da vida.

Amar você é ter a certeza que descansarei por fazer a escolha certa.

E saber que terei alguém para me amar por toda a minha vida. E ter a certeza que serei igualmente amada e desejada, como desde o momento em que eu te conheci e embarquei nessa tal aventura que é o amor, desde então o meu maior prazer é amar você!


 

AUTORA MARINALVA ALMADA


MARINALVA ALMADA é diplomada em Letras Português/Literatura e com uma pós-graduação em Alfabetização e Letramento pelo CESC/UEMA, encontrou no ensino a oportunidade de semear conhecimento e despertar amor pelas palavras. É professora nas redes públicas municipal e estadual. Tem como missão transformar vidas através da educação e da leitura literária. Deleita-se com a boa música, a poesia, a natureza, os livros e as flores, elementos que refletem sua personalidade multifacetada. Escreve regularmente no Recanto das Letras, participa com frequência de concursos literários, antologias e feiras literárias. Em 2023 realizou o sonho de publicar pela Valleti Books, o livro Versificando a vida, juntamente com as amigas Cláudia Lima e Zélia Oliveira.

 

A VIDA E O AMOR


Que o bem prevaleça,

Que o mal desapareça,

Que a vida floresça,

Que do amor ninguém nunca se esqueça

 

AUTORA ZÉLIA OLIVEIRA


Natural de Fortuna/MA, reside em Caxias-MA, desde os 6 anos. É escritora, poetisa, antologista. Pós-graduada em Língua Portuguesa, pela Universidade Estadual do Maranhão – UEMA. Professora da rede pública municipal e estadual. Membro Imortal da Academia Interamericana de Escritores (cadeira 12, patronesse Jane Austen). No coração de Zélia, a poesia ocupa um lugar especial, gosta de escrever, afinal, a poesia traz leveza à vida. Publica no Recanto das Letras, participa com frequência de antologias poéticas, coletâneas, feiras e eventos literários. É organizadora e coautora do livro inspirador "Poetizando na Escola Raimunda Barbosa". Coautora do livro “Versificando a Vida”.

 

O PODER DO SORRISO


O sorriso disfarça a tristeza,

Camufla a dor,

Dribla o mau humor.

Nem sempre revela o seu estado interior.

Às vezes, sua vida está um caos,

Mas você coloca um sorriso

E melhora o seu astral.

O sorriso tem um valor incalculável

Tem o poder de encantar, animar,

Produz uma sensação de bem-estar

Na pessoa que o dá,

E o outro, pode encorajar.

Ah, o sorriso expressa nossos sentimentos

Sem nenhuma palavra proferir

Ajuda a lidar com desapontamentos.

O sorriso é benéfico para nós e para os outros.

Vamos sorrir?


 

AUTORA SIMONE GONÇALVES


SIMONE GONÇALVES, poetisa/escritora. Colaboradora no Blog da @valletibooks e presidente da Revista Cronópolis, sendo uma das organizadoras da Copa de Poesias. Lançou seu primeiro livro nesse ano de 2022: POESIAS AO LUAR - Confissões para a lua.

 

TUA AUSÊNCIA


A saudade que se faz presente

Nessa tua ausência que tanto dói

Rasga meu coração em pedacinhos

Feito um cristal que se despedaça

Na ventania que invade meu peito

Fazendo sangrar-me por inteira

Entre a escuridão da noite fria de outono

Ao amanhecer cinzento sem você aqui...

Um tormento delirante toma conta dos meus dias

Fazendo cada lágrima que escorre em meu rosto

Ir se transformando num oceano onde me afogo

Numa tristeza sem fim

Por não ter você aqui

Fico na espera do teu sorriso

Mesmo que seja do outro lado da tela

Onde ainda mesmo na distância

Consigo decifrar nos teus olhos

Uma ponta de esperança de um dia

Estarmos juntos e nos entregarmos

Num longo e caloroso beijo

E no teu corpo me entrelaçar e nunca mais te deixar sair

De perto de mim


 

AUTORA STELLA_GASPAR


Natural de João Pessoa - Paraíba. Pedagoga. Professora adjunta da Universidade Federal da Paraíba do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia. Mestre em Educação. Doutora em Educação. Pós-doutorado em Educação. Escritora e poetisa. Autora do livro “Um amor em poesias como uma Flor de Lótus”. Autora de livros Técnicos e Didáticos na área das Ciências Humanas. Coautora de várias Antologias. Colunista do Blog da Editora Valleti Books. Colunista da Revista Internacional The Bard. Apaixonada pelas letras e livros encontrou na poesia uma forma de expressar sentimentos. A força do amor e as flores são suas grandes inspirações.

 

PAIXÃO POÉTICA


Com você aprendi a escrever

Sobre o amor

Um tempero especial

Você deixou na minha inspiração

Que sabor eterno

Que não me deixa gostar de outro.

A paixão completa

Reúne tudo, que há de melhor

Sinto-me abraçada por mil laços

Que só com o teu olhar me liberto

Meu corpo inteiro tem volúpia

Que anseiam pelo teu.

O que posso fazer por ti

Meu amor?

Se queres minhas estrelas te darei

As minhas flores as colho para ti

O meu silêncio te darei

E meus gritos de amor, te ofertarei.

Paixão poética

Tão delicada como a respiração

De um amanhecer de paz.

A lua tão majestosa

É testemunha de como todos os dias

Eu renasço para te amar.

Penso em ti

Porque não estás, junto a mim?

Nesse imperfeito mundo

Somente eu e você

Dormindo nas formas nuas

Das nuvens enamoradas.


 

AUTOR WALTER BERG


WALTER BERG, pseudônimo de Valter Alves da Silva, poeta contemporâneo, professor de Língua Portuguesa, Licenciado em Letras Português e Literatura pela Universidade Estadual do Maranhão-UEMA, especialista em Gestão, Supervisão e  Coordenação escolar pela FAVENI, tem participação em várias antologias nacionais.

 

O HOMEM E O CACHORRO


São viventes.

Estão doentes.

Estão abandonados.

Desprezados


Um sem família,

Outro sem lar

Todos sem casa

E olham tristemente a quem passa por lá.

Um abana o rabo

Outro enruga a testa

E nada falam

Nem precisa

As pessoas

Veem

e

sabem

o que

precisam:

A

M

O

R


 

AUTORA LUCÉLIA SANTOS


LUCÉLIA SANTOS, natural de Itabuna-Bahia, escritora, poetisa, cronista e contista e antologista. Escreve desde os 13 anos. É autora do livro "O Amor vai te abraçar" e coautora em diversas coletâneas poéticas. Seu ponto forte na escrita é falar de amor e escreve poemas e minicontos infantis.

 

BELEZA DO OUTONO


Se te comparo à beleza do outono

Certamente és mais belo imensurável

Pois tudo acaba como um sonho

Parece um quadro lindo e inacreditável


Às vezes o clima muda de repente

É quente e fresco num só dia

Esperamos o incerto à nossa frente

Como um rádio que muda a melodia


Mas em ti o outono é eterno

Sua beleza única permanecerá

Nem folhas morrerão tristes por certo

Teus encantos com o tempo aumentará


E se por longos tempos eu viver

Todo outono me fará recordar

A poesia viva te fará florescer

Transbordando em mim onde sempre vai estar.


 

AUTORA MARIA LEONILDA PEREIRA


MARIA LEONILDA SOARES VIDEIRA DA FONSECA PEREIRA, nasceu na Guarda a 13 de julho de 1952, na Guarda. Licenciou-se em Filologia Românica. Fez mestrado em Sociologia das Religiões. Colaborou e promoveu Semanas das Religiões UNL. Lecionou Português e Francês. Promoveu intercâmbios internacionais. Representou Portugal em reuniões sobre o Educação em França e Dinamarca. Colaborou e continua a participar em sessões de leitura e de escrita criativa. Desde cedo se dedicou à escrita e à leitura, atividades que lhe ocupam os dias. Criadora de narrativas para deliciar os seus cinco netos.

 

SOU O TEU MENINO, MÃE!


Venho pedir o colo que perdi,

os afagos desmaiados neste vaivém incessante longe de ti.

Deixa-me entrar no teu mundo

que me chama qual grito primordial

como joia perdida na floresta densa e montanhosa

prenhe de animais selvagens devoradores da vida preciosa…

Estou à tua mercê, mãe,

disposto a renovar os laços da ternura inicial,

a esquecer o passado,

a erguer pontes,

a desejar ser feliz,

a amar e ser amado pelo que sou, pelo que fiz.

Almejo uma família semelhante a tantas,

em permanente construção

Lar de amor, de harmonia, de emoção…

Quero o que não tive porque não quis ou tu não quiseste.

Sem culpas, mágoas, ressentimentos,

comecemos do zero, mãe,

a expressar o carinho, a doçura que eu não dei e tu não deste.

Venho humildemente, despido de preconceitos, virginal,

ao teu encontro aninhar-me nos teus braços,

esperar pelos teus beijos, alívio de cansaços,

esconderijo de todo o mal.

Mãe, sou o rio a correr para o mar.

Por montes e vales, mãe, insisto em chegar.


 

AUTORA CARLA DE NAZARÉ


Busquei desde o Ensino Médio – antigo 2º Grau – os livros literários para minha prática de leitura e, assim, aprender melhor as regras gramaticais da Língua Portuguesa e aperfeiçoar a escrita, pois sempre ouvi professores aconselhar que quem lia mais aprendia a escrever melhor. Então, passei a apreciar a literatura em todas as suas nuances, o que foi estímulo para aprofundar minha imaginação a ponto de começar a escrever versos que refletissem aspectos da vida no geral e do amor romântico. Gosto de poetas variados nacionais e estrangeiros, dentre eles: Mário Quintana, Casemiro de Abreu, Cecília Meireles, Clarice Lispector, Fernando Pessoa, Pablo Neruda. Possuo vários escritos poéticos e dois romances que estão sendo organizados para futura publicação.

 

NÓS, HUMANOS


Nós, humanos

Sigamos à estrada, juntos

eu, tu, ele, ela, nós

uma vida, outra vida, nossas vidas

somos um, somos plural, dialético

espelho do que vemos

no mundo de fora

do que sentimos

no mundo de dentro

nos invadimos e nos confundimos

tonando-nos um só

Nós, humanos

Loucos mundos antagônicos

e tantas consciências imperfeitas

total incapacidade de síntese

ávida lucidez estúpida

coisa oca e impregnada

agonizando no vazio

Sigamos entre um espirro e uma dispnéia

Quiçá a arranjar versos pessoais

a lançar libertário saber

quisera sempre incomum

quisera útil algum!


 

50 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo

2 comentários


Stella Gaspar
Stella Gaspar
14 de mar.

Amores, Paixões e interrogações. Assim, a poesia é traduzida nessa edição n.º 47. Belas 😍

Curtir

Luiz Primati
Luiz Primati
14 de mar.

"Labirintos Mentais" por Luiz Primati: Este texto é uma reflexão poética sobre a percepção do tempo e a luta interna contra a efemeridade da vida. O autor descreve a sensação de estar perdido em labirintos mentais, perseguindo o tempo e ansiando pela presença constante de uma pessoa amada. A narrativa transita entre a busca por significado, a solidão, e o desejo de viver intensamente apesar da consciência da transitoriedade da existência. É uma meditação sobre a dificuldade de escapar dos ciclos viciosos da mente e a descoberta de que a verdadeira liberdade pode residir em uma mudança de perspectiva sobre a vida e os desafios que ela apresenta.

"Outono" por Rizzon Ramos: Rizzon Ramos propõe um poema curto e otimista…

Curtir
bottom of page