top of page

BECO DOS POETAS Nº 44 — 22/02/2024

Grandes textos, grandes poesias! Leiam, comentem, compartilhem!


Imagem criado com IAMidjourney
 

AUTOR LUIZ PRIMATI


Luiz Primati é escritor de vários gêneros literários, no entanto, seu primeiro livro foi infantil: "REVOLUÇÃO NA MATA", publicado pela Amazon/2018. Depois escreveu romances, crônicas e contos. Hoje é editor na Valleti Books e retorna para o tema da infância com histórias para crianças de 3 a 6 anos e assim as mães terão novas histórias para ler para seus filhos.

 

BUSCA ETÉREA

Na alvorada, despertei com a alma inundada de pensamentos sobre minha amada. Sorri, puro e inocente, como uma criança que se encanta com o voo gracioso de uma borboleta. Em seguida, vaguei entre flores que decoram os canteiros do parque, dançando ao sabor do vento. Tracei círculos na água da lagoa, brincando de criar ondas com as pontas dos meus dedos.

À medida que o sol celebrava seu ápice, um espetáculo de luz e calor, ascendi ao ponto mais elevado, observando o horizonte até onde meus olhos podiam se perder. O suor que percorria minha face poderia facilmente se misturar às lágrimas contidas, num emaranhado de sensações. "Onde estás, meu amor? Em que recanto te escondes?”

Com a chegada do crepúsculo, meus olhos ainda varriam o ambiente, numa busca incansável pelos vestígios dela. Segui um caminho perfumado, guiado talvez pelo aroma de seu perfume ou pela essência dos seus cabelos ao vento. Mas o que encontrei foram apenas sinais sutis de sua presença, um sopro de sua essência que por ali passara.

Ao anoitecer, com o corpo exausto e a alma em vigília, busquei seu semblante sob a luz prateada da lua, onde apenas o reflexo dos seus olhos azuis me contemplava. No céu, entre as estrelas, vislumbrei uma constelação que piscava em um ritmo, como uma sinfonia silenciosa a ser desvendada.

Agora, rendido pelo cansaço dessa jornada etérea, deito-me sobre a terra, observando o céu, escutando o coro dos grilos e sentindo a brisa acariciar minha pele. Adormeço com ela em meus pensamentos e, em sonho, a encontro: radiante, com seus cabelos dourados reluzindo como o mais puro ouro, seus olhos azuis profundos como turquesas, seu sorriso, um reflexo puro do amor. E, em nosso encontro mágico, murmuro com toda a doçura de meu ser: “Eu te amo”.


 

AUTORA AIALA BASTOS


Aiala Bastos é uma escritora de 21 anos, nascida e criada em João Monlevade. Desde muito pequena sempre foi apaixonada pela leitura e com o passar dos anos descobriu uma paixão também pela escrita. Inicialmente a escrita era um refúgio dos problemas encontrados no dia a dia, uma adolescente que não sabia como lidar com tantos sentimentos existentes em si. Em pouco tempo o gosto pela escrita foi crescendo e transformando-se em uma paixão. Hoje aos vinte e um anos com a primeira obra publicada se encontra em um local de paz e serenidade pela mulher que se tornou, mas inquieta buscando melhorar e evoluir cada dia mais.

 

DEMÔNIOS


Nunca entendi o motivo de ser assim

Nunca quis saber por que gosto disso

Nunca me importei com estes demônios

 

Sempre soube quando estavam ali

Sempre senti quando me tocavam

Sempre pedi quando não faziam

 

Hoje não sei o que é

Hoje ainda sinto

Hoje preciso mais que nunca

 


 

AUTOR RICARDO DUARTE SANTOS


Ricardo Duarte Santos é nascido no Rio de janeiro. Criado pela mãe,ainda viva aos 92 anos,Marido da Josina (Jo), Pai de duas filhas e avô de quatro netos. Admirador da Arte. Adorador daquele que criou todas as coisas.

 

GUERREIROS DA VIDA


Desde o princípio

Fui um guerreiro

Era pequeno, quase invisível , imperceptível.


Muito antes de nascer

Na épica corrida.

Mirei meu alvo

Dei o meu melhor

E alcancei a vida.

Desde o amanhecer até o pôr do sol

As adversidades ensinam a arte de perseverar,

fracassos são oportunidades pra crescer e superar

Um infinito recomeçar.


Viver de verdade,

Ter essência de guerreiro,

É não ser paralisado pelo medo

Enfrentar os golpes,

Resistir as feridas.

Não se prender em devaneios

Refugiar-se em meio aos bombardeios.


Sobreviver,

levantar a cabeça,

erguer-se dentre às cinzas.

Não cultivar o ódio

Ser o ombro amigo

Para aquele que não tem abrigo.

Não matar sonhos, não escravizar

Nem deixar ninguém para trás.

Preservar a vida

dádiva sublime do Criador.

Viver e deixar viver.


 

AUTORA LAINE BOTTARO


Laine Bottaro é uma escritora e poetisa brasileira, nascida em Lençóis Paulista, cidade localizada no interior de São Paulo. Formada em Artes Visuais e atualmente cursando Ciências Econômicas e Administração. Desde a infância, foi apaixonado por livros e histórias de aventura e fantasia, o que a levou a começar a escrever suas próprias histórias. Seus livros são marcados por uma narrativa envolvente, personagens cativantes e tramas cheias de reviravoltas. Além disso, possui uma habilidade única de criar poemas marcantes que tocam o coração de seus leitores. Sua sensibilidade para a escrita poética é evidente em suas obras, transmitindo emoções profundas e reflexões sobre a vida em versos belos e inspiradores. Laine Bottaro também vem se destacando como coautora em diversas Antologias nacionais e internacionais, além de participar de inúmeras seleções literárias.

 

ROSA POSSUÍDA


No jardim dos sentidos, onde as flores desabrocham em versos,

Uma rosa se destaca, envolta em mistério e encantos diversos.

Ela possui uma aura sedutora, que atrai olhares e desejos,

É uma rosa que transcende, que possui e se entrega aos devaneios.

Seus espinhos são como lanças, que protegem sua beleza singular,

Mas também são convites para os corajosos, que ousam se aproximar.

Pois essa rosa possui um poder, uma essência que encanta e fascina,

E quem se atreve a tocá-la, mergulha em uma paixão divina.

Ela possui o perfume mais doce, que embriaga os sentidos,

Um aroma que envolve e seduz, como um abraço apaixonado e perdido.

Seus pétalas são suaves e aveludadas, como carícias em uma noite de luar,

E ao tocá-las, sente-se a energia pulsante, que faz o coração acelerar.

Essa rosa possui-me, como um feitiço que não se pode resistir,

Ela domina os pensamentos, fazendo a mente se render e se abrir.

É uma possessão poética, uma conexão profunda e transcendental,

Onde a rosa e o ser se entrelaçam, em uma dança sensual e celestial.


 

AUTORA SIMONE GONÇALVES


Simone Gonçalves, poetisa/escritora. Colaboradora no Blog da @valletibooks e presidente da Revista Cronópolis, sendo uma das organizadoras da Copa de Poesias. Lançou seu primeiro livro nesse ano de 2022: POESIAS AO LUAR - Confissões para a lua.

 

ROSA NEGRA


Rara beleza

Persiste em meus sonhos reinar

És como rosa negra

Que enfeita minha vida

Cada pétala é como um beijo

Que me atrai ao teu encontro

No teu perfume me embriago

Tal qual um feitiço da noite

Onde seus encantos me fascina

Em meu jardim se torna rei

Dos mistérios que me atrai ao teu corpo

A lua se prende ao teu olhar

E tudo se ilumina com teu sorriso

Tua voz me eleva ao canto mais secreto do céu

Feito canção que só você conhece

A embalar-me no ritmo do nosso amor


 

AUTORA STELLA_GASPAR


Natural de João Pessoa - Paraíba. Pedagoga. Professora adjunta da Universidade Federal da Paraíba do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia. Mestre em Educação. Doutora em Educação. Pós-doutorado em Educação. Escritora e poetisa. Autora do livro “Um amor em poesias como uma Flor de Lótus”. Autora de livros Técnicos e Didáticos na área das Ciências Humanas. Coautora de várias Antologias. Colunista do Blog da Editora Valleti Books. Colunista da Revista Internacional The Bard. Apaixonada pelas letras e livros encontrou na poesia uma forma de expressar sentimentos. A força do amor e as flores são suas grandes inspirações.

 

AS FLORES QUE ELE ME VESTE


Flores, amor e paixão

Harmonizando nossas vidas

Meu beija-flor

Eu amo teus beijos famintos

Por meu néctar.

Me vestes de flores

E me deixas amada, a todo instante

Deixando sorrisos,

Dançando no meu rosto

Com o teu fascínio e a tua beleza.

As tuas flores lindas

Espalham jardins mágicos em mim

Ah, meu amado amor

Tú és sete sóis, porque vês as claras

És sete luas, porque vês as escuras.

Como são lindas

As nossas flores

Elas nascem e renascem

De fontes poéticas inesgotáveis

Dos vislumbres do amor e das paixões eternas.

É maravilhoso amar e ser amada

Com a nossa felicidade amanhecida

Ardo por ti, te sinto em mim

E só a nossa voz escutamos.

Há, você tem o poder

De ver o que as suas flores escondem

Por trás de meus chamados

Para que sintas a minha pele

Em momentos de amor.


 

AUTOR JOSÉ JUCKA SOULZ


José Juca P Souza, professor, ator, psicopedagogo, analista de sistema, ambos por formação acadêmica… Desde pequeno imbuído nas artes, com o desenho. Como profissional, agente administrativo no Ministério da Agricultura, técnico em edificações na Companhia Energética de Brasília. Assim segue, vendedor de tudo na infância (“triste realidade”), almoxarife, gerente lojista… Em seguida, veio o teatro, com poucas temporadas, lecionou artes na escola pública do DF, estando até hoje, trabalhando com informática, afastado de sala de aula… Embora escreva desde criança, com textos engavetados… Se reconhece poeta em um concurso para novos poetas, em 2019, classificado e publicado em uma determinada editora. Hoje providencia seu primeiro livro.

 

REVISITADOS


Uma imagem descortina o coração!

De um tempo inconsequente, quase…

Um beijo pregresso, anos, então…

Mas, não! Realidade em êxtase avalize.

 

Sem luzes ou trevas, só o inconteste,

Estradas passadas tanto revisitadas,

A saber imagens houvera conteste,

Em espaço, tempo e estadas atestadas.

 

Volta-se a nostalgia daquele dia,

Volta-se a recordar carícias à amar,

Volta-se a saber o vão que irradia…

 

Mas, apenas, imagens de tempos passados,

Experiências para maturidade rever…

Imagens de belos vistos, revistos, revisitados… 


 

AUTORA RIZZON RAMOS


Rizzon Ramos, é alagoana da cidade de Penedo, atualmente mora em Itaguaí Costa Verde do estado do Rio de Janeiro. Escritora em verso, prosa e contos, autora de Rosas no Varal, coautores de Antologias, poeta, compositora, e apaixonada por fotografias.

 

BRUNA


Flores queridas que trazem vida!

Não são apenas tatuagens em meu braço

São laços eternos que fiz.

Com o meu sangue são regadas

Por seus nomes são chamadas!

Crisântemo

Azaleia

Girassol

Rosa

Orquídea

Minhas flores favoritas!

Com gratidão faço uma homenagem

A quem me ensinou a ter coragem,

São rosas sem espinhos

Por ter me acolhido ,

E amostrado o caminho!

Agora tudo faz sentido,

Já estou em paz comigo.


 

AUTOR EDUARDO CHIARINI


Eduardo Chiarini é engenheiro eletricista, com especialização em Sistemas Elétricos de Potência. Foi professor universitário na PUC-MG e na Faculdade de Itaúna. Dedica-se à literatura desde os 13 anos de idade. Atualmente estuda filosofia com previsão de término em 2025. Tem quatro livros publicados, sendo três de poemas Escolhidos e Esquecidos vol. I e II e Inflexões e um de contos Histórias em Retratos.

 

QUEREMOS


Queremos poemas obscenos,

lascivos e eróticos venenos,

poemas pornográficos com erros ortográficos.

 

Queremos poemas inconsistentes,

perturbantes poemas indecentes,

excludentes e indiferentes.

 

Queremos que sejam inexistentes,

escritos em estrelas cadentes,

queremos poemas quentes.

 

Queremos o plural de eles,

e o singular de eu,

num poema só seu.

 

Queremos pelo menos um poema nefelibata,

um poema que arrebata e mata,

o poema burocrata.

 

Queremos poemas sem sentido,

queremos poemas sentidos,

queremos o sentido perdido.

 

Queremos poemas malucos,

queremos malucos escritos,

queremos vários ditos.

 

Queremos poemas com palavrão,

gritados a pleno pulmão, com convicção

escritos sem palavras e sem definição.


 

AUTORA ZÉLIA OLIVEIRA


Natural de Fortuna/MA, reside em Caxias-MA, desde os 6 anos. É escritora, poetisa, antologista. Pós-graduada em Língua Portuguesa, pela Universidade Estadual do Maranhão – UEMA. Professora da rede pública municipal e estadual. Membro Imortal da Academia Interamericana de Escritores (cadeira 12, patronesse Jane Austen). No coração de Zélia, a poesia ocupa um lugar especial, gosta de escrever, afinal, a poesia traz leveza à vida. Publica no Recanto das Letras, participa com frequência de antologias poéticas, coletâneas, feiras e eventos literários. É organizadora e coautora do livro inspirador "Poetizando na Escola Raimunda Barbosa". Coautora do livro “Versificando a Vida”.

 

MEU REDENTOR


O Criador nos conhece

Vê nossas tempestades, ciclones, tsunamis,

Entende nossos temores.

Sente nossas dores...

 

Provê ajuda no momento certo

Guia-nos no "deserto".

Ao tropeçar, cair...

Sempre estende a sua mão,

Ajudando-nos a prosseguir.

 

Quando estava naufragando

Tua mão poderosa me sustentou,

Infundiu poder em mim,

Do “fundo do poço” me libertou.

 

Pai, como sou GRATA POR TEU AMOR!

Consegui enfrentar tantos percalços...

Enxugaste meu pranto, aliviaste a dor,

Tu és meu redentor.

Gratidão, Senhor!


 

AUTORA MARI RICOMINI


Mari Ricomini é Escritora, Representante Literária da Comunidade Efêmera Sintonia, Revisora Colaborativa da Produtora e Comunidade Fênixart, Professora de Língua Portuguesa  (Ciclo II e Ensino Médio) e também  leciona para  os Anos Iniciais e Finais, possui uma Obra Literária Infantil, com texto e ilustrações próprias (“Titi um Cãozinho sem Igual!”) publicada em 2021 pela Editora Scortecci. Ganhou algumas premiações desde sua mais tenra infância, por parte dos seus professores e atualmente participa de Antologias, Coletâneas de Contos, Crônicas e Poesias. Sua Crônica: “Como Cães e Gatos”, consta na Coletânea da Antologia + Humor da Selo off Flip/ 2022/23. Seu Conto Infantil: “Lembranças”, faz parte da Antologia de Contos Infantis, Era uma Vez… da Editora Az7/ 2023. Sua Crônica: “Meu Doce Desconhecido”, está presente na Coletânea da Antologia dos Embalos Literários da Editora Persona/2023. Participações com sua Poesia premiada em terceiro lugar: “As Flores”, no Concurso Literário de José Endoença Martins/2018/19, na Revista Artes do Multiverso II Edição e III Edição/2023, com seu Conto : “O Tigre de Bengala” e sua famosa Crônica: “Como Cães e Gatos”. Já tem confirmada seleções de Poesias na Antologia Metamorfose, Poesia e Evolução (Quatro Amigas), Prêmio Mangangá de Literatura com cinco Poesias autorais e Antologia do Sertão do Nordeste com seu Conto/ Poesia: “Tributo ao Nordeste”, Hexaeditora e parceria com a Comunidade Efêmera Sintonia.

 

AS FLORES


Eu bem sei que as flores mais cheirosas são as crianças, sem maldade, com tanta sinceridade e espontaneidade que logo chamam a nossa atenção e cativam o nosso coração.

Eu não me canso de admirá-las...

Elas têm todo o meu apreço.

Cheias de vitalidade e energia parecem que nunca se cansam.

Sua alegria é contagiante e com elas eu começo a rir bastante.

São pequenos, notáveis, adoráveis...

Eu percebi que esse é o verdadeiro motivo porque os avós gostam tanto de ficar perto dos seus netos.

Eles voltam a ser crianças.

Ah! Mas, as crianças continuam a ser as minhas flores prediletas.


 

AUTORA BACH


De pseudônimo Bach, Nasci no litoral Sul de São Paulo Guarujá, tenho 35 anos de caminhada pelo meio artístico, desde poesia até chegar a arte digital. Participei de alguns Varais de poesia em minha cidade e também pequenos saraus. Escrevo poesia desde meus 16 anos, e gosto de fazer uso da liberdade poética com muita frequência, minhas poesias contam pequenas histórias enfatizando sentimentos e pequenos detalhes que marcaram momentos na minha vida. Tenho como influência escritores antigos, como Baudelaire, Rimbaud, Goethe, Alexandre Dumas, Shakespeare, chegando enfim a Clarice Lispector, Lygia Fagundes Telles, Fernando Pessoa e Cecília Meireles, etc. Vejo na arte um maneira efetivo de conscientização por meio da beleza, do amor, e sobretudo da elevação espiritual.

 

NO CÉU DA SUA BOCA


Eu irei beijá-la nesse instante,

Esse vai ser o último ato dessa peça.

No céu da sua boca de azul infinito

As estrelas surgirão no firmamento,

E Sentirei o sabor acentuado das galáxias.

 

No ardor desse desejo em brasas,

Deixarei o sol queimar meu lábio,

A lua em dias de chuva sanará o tédio,

Dos amantes que hoje temem amar.

 

E nesse súbito arroubo,

Ganharei asas de Van Gogh,

e farei parte da sua "noite estrelada",

Como anjo que não deseja cair,

Todavia,

Homem que considera a fraqueza.

 

E essa será a história de um beijo,

Um diminuto vislumbre do mundo.

Segundo minhas papilas gustativas,

Em contraste com o universo de seus lábios.

Smack!


 

AUTORA LU NASCIMENTO


Lu Nascimento, 37 anos, paulista, publicou seu primeiro e tão sonhado livro, em dezembro de 2023, " O pôr do sol e outras coisas que se parecem com você", uma prosa poética que celebra o amor e a admiração. Participou da antologia "A poesia delas" que homenageia mulheres e sua existência. - Só a ideia de ser escritora já era fascinante, agora ser lida e poder representar sentimentos através da minha própria literatura, está sendo surreal.

 

ARTE QUE NÃO MORRE


Eu não vou parar.

A poesia não pode parar.

Uma hora ela encontra

Algum coração que precisa dela

Uma hora ela brota no jardim que não a tem.

Sempre ela chega,

Como as águas nas rochas

Que acham rachaduras para escoar.

Como grito que ecoa.

Como som de uma gota, no silêncio.

Como luz de repente, no escuro.

Nos livros, nas telas, no sol,

Nas flores, nos olhares,

Em tudo que tem alma,

Ah a poesia aparece, ah ela cresce

Ela é uma prece

Que faz a gente repetir de novo, e de novo.

Ela se move tão bonita.

É a esperança de um mundo sem cor

Que pede pelo amor, desesperadamente.

E que colore quando espalha.

É desanimador, é desafiador,

São tempos difíceis

Para os sonhadores, escritores da liberdade, da beleza,

Escritores intencionados

A elevar a vida em poemas.

É uma sangria necessária, esperar pelo êxito que demora.

Mas pela arte da poesia que não começou agora,

Eu quero continuar.

Olha para trás,

Vê se Fernando Pessoa desistiu,

Vê se ele morreu.

Ele nunca morreu.

Neruda, Shakespeare, Drummond...

Cecília, Clarice, Carolina Maria de Jesus.

Uma geração passa, Machado de Assis, não.

A poesia é tradicional, atual. Revolucionária.

Não será sufocada, nem calada.

Um multiverso forte assim, não se destrói, prolifera.


 

AUTOR WALTER BERG


WALTER BERG, pseudônimo de Valter Alves da Silva, poeta contemporâneo, professor de Língua Portuguesa, Licenciado em Letras Português e Literatura pela Universidade Estadual do Maranhão-UEMA, especialista em Gestão, Supervisão e  Coordenação escolar pela FAVENI, tem participação em várias antologias nacionais.

 

A PIPA, O CÉU E O CEROL


O céu é livre.

O ar leva a pipa.

O menino solta a pipa.

O homem passou rápido.

Não viu o cerol.

Só viu o sangue.

E o menino abandonou a pipa.

O ar levou a pipa.

A ambulância levou o homem.

Será que escapou?

Do outro lado da rua os moleques disputavam o cair da pipa com o cerol assassino.


 

165 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo

3 Comments


UAL!! Quanta coisa linda no Beco hoje, meu Deus...adorei conhecer novos colegas escritores aqui no blog. Parabéns à todos!!

Like

Em "Busca Etérea", Luiz Primati constrói uma narrativa poética sobre a jornada emocional de um indivíduo em busca de seu amor, atravessando fases do dia e estados de espírito, desde o amanhecer repleto de esperança até o anoitecer de reflexão e sonho.


"Demônios" de Aiala Bastos é um poema introspectivo que explora a aceitação e a convivência com os próprios demônios internos, revelando uma jornada de autodescoberta e aceitação das partes mais sombrias de si mesmo.


"Guerreiros da Vida" é um poema de Ricardo Duarte Santos que celebra a resiliência e a luta contínua pela vida, desde o nascimento até os desafios diários, enfatizando a importância da perseverança e do apoio mútuo.


Em "Rosa Possuída", Laine Bottaro oferece uma visão…


Like

Lendo as poesias desse Caderno n.º44, me senti entrando no "Éden", das poesias que encantam, flores e passarinhos. Que o dia de cada poeta e poetisa, aqui lidos, seja um dia lindo! 😍

Like
bottom of page