top of page

BECO DOS POETAS Nº 38 — 30/03/2023

Grandes textos, grandes poesias! Leiam, comentem, compartilhem!


Luiz Primati

Imagem criado com IA
 

AUTORA MIGUELA RABELO


Miguela Rabelo escritora de crônicas, contos e poemas, com seu primeiro livro solo de poemas: "Estações". Também é mãe atípica e professora da Educação Especial no município de Uberlândia-mg.
 

RESISTIR AOS DIAS NUBLADOS


Diante a tantos dias tempestivos

Literais e metafórico...

Ela ainda tenta sorrir em meio

Ao céu cinza pincelado sem cores,

E enterrar os dissabores

Da escassez de amores...


Por isso, se apega ao sol radiante

Que do sorriso dele emana luz

E uma paz e alegria que nos seduz,

Esquecendo-se momentaneamente

Das angústias que sangram perenemente

em Rio Salgado a desaguar na imensidão

De meses de profunda solidão

E repletos de emoção,

como uma montanha-russa

A Despertar alegria e no mesmo dia

Nostalgia…

Daquelas que sufocam o peito

Desfalecendo a alma...


Mas apesar, de tanto pesares

Ela ainda, sim, tenta,

E se reinventa na sua escrita

e escuta curativa

E nos olhos a brilhar daqueles

Que por algum motivo desconhecido

Ela faz sorrir e voltar

A sonhar.


 

AUTORA STELLA_GASPAR


Natural de João Pessoa - Paraíba. Pedagoga. Professora adjunta da Universidade Federal da Paraíba do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia. Mestre em Educação. Doutora em Educação. Pós-doutorado em Educação. Escritora e poetisa. Autora do livro “Um amor em poesias como uma Flor de Lótus”. Autora de livros Técnicos e Didáticos na área das Ciências Humanas. Coautora de várias Antologias. Colunista do Blog da Editora Valleti Books. Colunista da Revista Internacional The Bard. Apaixonada pelas letras e livros encontrou na poesia uma forma de expressar sentimentos. A força do amor e as flores são suas grandes inspirações.
 

ALEGRIAS, ALEGRIAS


As alegrias, não precisam fazer barulhos.

Elas podem estar nas águas, no sol.

Nos beijos de amor.


Não precisamos planejar sentir alegrias

Elas são tão espontâneas

Como viver o presente

Sem sabermos sobre nossos futuros.


Alegrias. Alegrias

Nos mundos das fantasias

Nas noites de luares

Com nossos segredos

Que nos deleitam

Com as nossas paixões e amores.


Que privilégio

Poder gravar as alegrias

Nos sorrisos de nossas almas

E viver plenamente saboreando

As músicas que deslizam

No romantismo descortinado

Do nosso fantástico mundo.


Pego canetas de todas as cores

E tomo uma taça de vinho tinto

Começo a escrever alegremente

Descortinando-me e mostrando-me

Nas Alegrias. Alegrias

Aberta para o mundo.


 

AUTORA ROBERTA PEREIRA


Roberta M F Pereira nasceu em 1986 e cresceu na cidade de Brumado, interior da Bahia. É Historiadora, Tradutora, Intérprete de Libras, Professora e Poetisa. Desde bem jovem já demonstrava seu amor e dedicação a escrita, especialmente poesias. Tem suas poesias publicadas em diversas coletâneas e no site Recanto das Letras com o pseudônimo, Betina. É autora do livro “Verdades de um Coração Ferido”.

 

O BRILHO QUE EXISTE EM MIM


A exaustão toma conta do meu brilho e pouco a pouco se apaga a luz que fora forte, em um belo dia azul.


Um dia eu já fui uma estrela muito brilhante, que conseguia iluminar a todos ao seu redor, no entanto, o meu brilho foi sumindo conforme eu ia sendo sugada por um enorme buraco negro...


A luz que emana de mim neste momento não é mais suficiente para continuar com você neste vasto universo, sugiro que procure outra galáxia antes que eu exploda e destrua tudo que resta deste sistema.


Mas não se preocupe, com o pouco de luz que ainda me resta, consigo guiar você até que possa estar Seguro.


 

AUTOR SIDNEI CAPELLA


Sidnei Capella, natural e residente em São Caetano do Sul — São Paulo, Graduado em Administração. Escrevendo e publicando poesias e contos nos cadernos semanais da Editora Valleti Books. Participou da II copa de poesias da revista Cronópolis, em janeiro de 2022. Escreve textos poéticos, contos e mensagens, grande parte dos seus textos são publicados na página do Instagram que administra. Utiliza a frase criada por ele: “Inspiração me leva a escrever sobre tudo, a inspiração vem de Deus, escrevo para o meu próximo, de modo a despertar sentimentos e mexer com suas emoções.”

 

BARCO DA VIDA


No barco da vida que sacode.

No balanço do barco que se muda.

E balança feito dança.

Na roda da vida que balança.

Dançando no balançar do barco.

É na dança do sacode que se tem a vida.

Pois quem vive tem que ser sacudido.

No navegar do barco da vida;

em enfrentamento do mar enfurecido;

chacoalha a vida nos momentos.

E assim todos no mesmo barco:

Errando, acertando, aprendendo e

mudando os sentimentos.


 

AUTORA SIMONE GONÇALVES


Simone Gonçalves, poetisa/escritora. Colaboradora no Blog da @valletibooks e presidente da Revista Cronópolis, sendo uma das organizadoras da Copa de Poesias. Lançou seu primeiro livro nesse ano de 2022: POESIAS AO LUAR - Confissões para a lua.

 

SOU AMOR


Sou amor

sou feita de puro amor

mas… o amor não me deseja

o quanto o desejo

o amor se afasta mais e mais

enquanto eu quero tanto amar

posso dar amor de forma tão natural

com o coração sempre pronto

para se entregar

mas o amor insiste em fugir

não quer saber de mim


sou amor

eternamente amor

puramente...

Profundamente…


Então peço

me desejas tanto

o quanto desejo

seja amor para mim

seja meu amor


 

AUTOR AUGUSTO INFANTE E-mail: augusto.infante2023@gmail.com


Augusto Infante, fruto místico do enlace entre sereias e dragões, foi um visionário em um mundo de absurdo e ironia. Educado por pinguins falantes e tendo explorado terras tão distantes quanto a Atlântida e a Terra do Nunca, ele se consagrou como mestre do sarcasmo e do nonsense, guiando os navegantes nas águas turvas do ridículo. Em seu legado, Augusto nos presenteou com a obra-prima "Contos de um Infante Sarcástico", uma coletânea de histórias tão estranhas quanto engraçadas, onde o absurdo reinava. Hoje, seu nome ecoa nos confins do mundo do humor e da poesia, e seu espírito surrealista segue inspirando a todos que se atrevem a mergulhar em suas páginas irônicas.

 

PINGUINS DANÇANTES E FOCAS GORDAS


Ah, pinguins dançantes, tão galantes,

Em seu espetáculo de passos inconstantes,

Deslizam pelo gelo, com leveza e charme,

Que façanha, que proeza, que alarde!

E as focas gordas, oh, tão formosas,

Com seus corpos rechonchudos, majestosas,

No gelo, elas se esparramam, sem temor,

Sua graça e elegância, quase um clamor.

Mas, diga-me, ó nobre e irônico leitor,

Que sentido há nesta dança, que sabor?

Será um espetáculo divino, uma alegoria,

Ou apenas risível farsa, uma piada vazia?

Em meio ao gelo, ao vento e à neve,

A natureza oferece seu show, quem diria, tão breve,

Mas questionamos, com sarcasmo e riso,

Será que há um propósito, algo preciso?

A dança dos pinguins, o desfile das focas,

Um enigma que desafia, de forma tão jocosa,

E aqui estamos nós, a observar e a pensar,

Será que tudo isso é para nos abalar?

Ah, sim, esta poesia, de tom sarcástico,

Questiona o absurdo, o cósmico, o drástico,

De pinguins dançantes e focas gordas, que encanto,

E nesse balé gelado, soltamos nosso pranto


 

AUTOR LUIZ PRIMATI


Luiz Primati é escritor de vários gêneros literários, no entanto, seu primeiro livro foi infantil: "REVOLUÇÃO NA MATA", publicado pela Amazon/2018. Depois escreveu romances, crônicas e contos. Hoje é editor na Valleti Books e retorna para o tema da infância com histórias para crianças de 3 a 6 anos e assim as mães terão novas histórias para ler para seus filhos.
 

AMOR E CASTIGO


O amor é um sentimento tão poderoso e intenso que é difícil encontrar palavras para expressá-lo. O amor é como um vento forte que nos empurra para a frente, nos leva a lugares que nunca imaginamos e enche nossos corações de esperança. É uma força transformadora que nos renova a vontade de viver, de amar, de lutar pelos nossos sonhos.


Mas quando o amor não é correspondido, tudo desmorona. O coração se despedaça, sangra e fica em frangalhos. É como se a vida perdesse todo o sentido e tudo o que nos resta é nos prostrarmos diante do fracasso, tentando entender como isso pôde acontecer.


E então, como decidir entre amar e sofrer e o contrário? É possível consertar um coração ferido e amar novamente? É possível acreditar que “agora” é para sempre? São perguntas que nos assombram e que nem sempre têm respostas claras e simples.


Quando amo, danço na chuva, cumprimento estranhos, canto com os pássaros. Mas quando meu coração se quebra, nuvens negras circulam sobre minha cabeça, meu mundo fica cinza e as noites parecem não ter fim. É um tormento que nos faz duvidar se vale a pena amar novamente.


Mas apesar de tudo, o amor é impossível de se viver sem. É uma parte essencial da vida, uma luz que ilumina nossos dias e nos ajuda a superar as dificuldades. O amor é um mistério, um enigma que desafia a razão e a lógica. É impossível amar sem sofrer, mas mesmo assim, continuamos a amar.


E onde está você, amor, senão aqui, dentro de mim? É a pergunta que ecoa em meu coração, esperando por uma resposta que talvez nunca venha. Mas ainda assim, continuo a amar, acreditando que o amor pode curar as feridas do passado e nos levar a um futuro mais feliz e pleno.


 

AUTORA LUCÉLIA SANTOS


Lucélia Santos, natural de Itabuna-Bahia, escritora, poetisa, cronista e contista e antologista. Escreve desde os 13 anos. É autora do livro "O Amor vai te abraçar" e coautora em diversas coletâneas poéticas. Seu ponto forte na escrita é falar de amor e escreve poemas e mini contos infantis.
 

VERSOS TRISTES


Perco-me mergulhada em uma  imensa dor

Os que me veem sorrir mal sabem o que sinto 

A tristeza profunda certo dia me visitou

Tornando minha mente confusa, um labirinto 


Tornei-me uma mulher angustiada e pavorosa

Um frio toma conta de mim, gela o meu corpo

Devaneios sombrios deixa-me ansiosa

Tortura infinda, e a palidez beijou meu rosto


Intento gritar para o mundo que me sinto assim 

Ouço seus passos, oh tristura atrás de mim!

Em pelejo finda a minha vontade de viver


A mágoa, a dor, o tédio, nunca cessam 

A desnudar-me para o mundo confessam

O que nesses versos tristes, estou a dizer.

 

AUTORA REGINA PRADO

IG: @regina.prado_escritora


Natural de Jundiaí, interior de São Paulo, onde vive até hoje. Despertou o interesse pela escrita desde muito cedo, porém, somente a partir de 1981, quando cursando Secretariado e participando do grupo de teatro TER (Teatro Estudantil Rosa) despertou interesse em escrever de forma mais estruturada, onde muitos dos sentimentos se transformaram em poesias. Atualmente iniciou a escrita de um novo projeto que será lançado em 2022. Mais do que nunca, a sua intenção é tocar fundo os sentimentos dos leitores, causando emoção em cada palavra.

 

CORAÇÃO INDECISO


Repentinamente o coração se abre

Aguardando a oportunidade

De enfim voltar a amar...

O estômago se contrai a saltar

Numa desenfreada sinfonia a dançar

Onde voam borboletas mil!

Por um momento quase eterno

Mera palavra e gesto são ternos

Então a esperança se faz presente.

Porém, não bastou tanto tempo

Para sentir o coração novamente enrijecendo

Na desilusão de atitude fugaz!


 


28 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo

3 Comments


sidneicapella
sidneicapella
Mar 30, 2023

Tudo muito bom! Parabéns a cada autor do Beco dos Poetas: Miguela, Stella, Roberta, Simone, Regina, Lucélia, Luiz e Augusto.

Vocês são (d+).


Que o sol da poesia aqueça os corações gelados.

Que as estrelas poéticas, brilhem nos corações amargurados.

Que a lua da poesia iluminem os corações apagados.

E assim, escrevendo ou lendo, que a poesia faça coraçoes alegres a palpitarem de sorrisos esperançosos...

Like

Luiz Primati
Luiz Primati
Mar 30, 2023

Hoje o caderno está muito emocionante. Até eu, que não sou muito de falar sobre o amor, abri meu coração e coloquei os sentimentos para fora numa prosa poética. Isso deve ser por causa da Lucélia, pois, estou diagramando "AMOR PARA RECORDAR" e acabei me lembrando do meu primeiro amor. Obrigado a todos que escreveram e obrigado aos que leram e ouviram. Quanto à Stella, não tenho nem o que dizer. É uma poetisa magnífica e uma mulher sensível. Parabéns a todos.

Like

Stella Gaspar
Stella Gaspar
Mar 30, 2023

Quanta lindeza. Em cada palavra e letras senti " pingos de amor". Aproveitei cada verso seu, Luiz Primati. Um universo poéico extraordinário. 😍😍😍

Like
bottom of page