top of page

BECO DOS POETAS Nº 26 — 18/08/2022

Poderosos poetas e poetisas, palavras que marcam, que emocionam, que não se calam… e fazem-nos sorrir!

Leia, Reflita, Comente!


Luiz Primati

 

AUTORA FRANCIELLEN WEYDMAN


Franciellen Weydman, poetisa, desenhista, 19 anos, maranhense da cidade de Timon, Escreve desde os 15 anos, ama ler e escrever poemas. A paixão por escrever, surgiu quando fez seu primeiro Haicai, o tempo passou e hoje se tornou uma poetisa, sempre em evolução.

 

A CULPA É DOS ASTROS?


Os astros devem estar brincando comigo,

Eu não sei o que eu quero ou sinto.

Estou culpando eles

Sabendo que sou eu a única culpada


Ou vítima da minha mente,

Que está fervente ultimamente

É meio engraçado toda essa situação

Por não saber o que se passa no meu coração


Às vezes penso como seria ser um astro,

Talvez eu poderia ser bem importante ou ser fascinante.

Por outro lado, eu teria medo disso,

Pois mal saio do quarto, quem dirá ser um astro cheio de fascínios.


 

AUTORA LUCÉLIA SANTOS


Lucélia Santos, natural de Itabuna-Bahia, com residência em Brumado-Bahia. Escritora, poetisa, cronista, contista, antologista, escreve desde os 13 anos. É membro acadêmico correspondente da Academia Internacional de Literatura Brasileira, AIBL. "FOCUS BRASIL". Sempre buscou na escrita um jeito de expor seus pensamentos e sentimentos e mergulhar em sonhos e emoções, o romantismo toma conta das linhas dos seus cadernos. No colégio, sempre se destacou em literatura e redação. No intervalo das aulas, se a quisessem encontrar, teriam que ir até à biblioteca. Publica seus escritos no site Recanto das Letras, como Lucélia Love, e no Instagram como @poetisafalandodeamor, é colaboradora do blog da @ValletiBooks e tem trabalhos publicados em diversas coletâneas poéticas. E agora é autora do livro "O Amor vai te abraçar"
 

MEU BEIJA-FLOR


Ah, meu amor de muitas primaveras

Carrego o perfume das flores com seu amor

Se tu fosses meu, quem dera…

Eu seria a flor mais linda diante do seu golpe sedutor


Oh, meu querido! És o beija-flor mais belo

Que o amor fez-me conhecer

Sentimento puro e sincero

Complemento para meu viver


Como eu queria ser vítima dos seus beijos

Meu beija-flor que deseja o meu mel

Leva-me cativa para seu esconderijo, pois eu anseio

Que meus pés não toquem mais o chão até sentir-me no céu


Oh, meu amor de muitas estações

Tu conheces a doçura de minha alma

No mesmo compasso batem nossos corações

Tenho o mel que teus desejos acalmam.


 

AUTOR JÚLIO BARBOSA


Eu sou o Júlio César. Baiano de nascimento, paulistano de coração. Doutor em comunicação - estudei a linguagem das organizações; mestre em comunicação - estudei a estética do cineasta espanhol Pedro Almodóvar; me graduei em Relações Públicas e me tornei diretor-executivo da Associação Movimento da Construção Saudável, uma ONG. Nasci questionador e atrevido. Me perdi e me achei, me vi músico, compositor, cantor, escritor e minha alma me fez poeta.

 

RESPIRO


Respiro: estou vivo?

Suspiro: o amor que não chegou.

Inspiro: minha porção poeta escreve.

Insisto: os versos brotam

Exponho minh'alma nua, escancarada sem medo de dizer quem sou.

Os olhos traduzem a paisagem: sol, árvores, terra e céu.

Sinto-me esvaziar, são as palavras fugindo para o papel, a mão trêmula, o suor a escorrer pela testa é a certeza de que ainda respiro.


 

AUTORA REGINA PRADO


Natural de Jundiaí, interior de São Paulo, onde vive até hoje. Despertou o interesse pela escrita desde muito cedo, porém, somente a partir de 1981, quando cursando Secretariado e participando do grupo de teatro TER (Teatro Estudantil Rosa) despertou interesse em escrever de forma mais estruturada, onde muitos dos sentimentos se transformaram em poesias. Atualmente iniciou a escrita de um novo projeto que será lançado em 2022. Mais do que nunca, a sua intenção é tocar fundo os sentimentos dos leitores, causando emoção em cada palavra.

 

REI


No trono da sua arrogância,

Me julgas por meu fracasso...

Fracasso? Onde vês fracasso,

Sinto etapas vencidas!

Se apegas às suas regras tolas,

Onde a concepção de poder

Te faz cada vez mais pequeno

Diante de tamanha ignorância.

Você não merece as lágrimas

Que um dia brotaram de meus olhos

E elas nem são para você.

As moedas que atiras sob meus pés

São ínfimas diante de meu Valor.

Se nunca me valorizastes antes,

Agora é que não terá nem a minha atenção!

Sou uma mulher de Valor

E sua vã fortuna não compra minha alma.

Meu espírito é livre,

E essa liberdade não tem valor no seu reino

O que você quer de mim

A não ser o meu fracasso?

Quer meu sangue ou minhas lágrimas

A fomentar teu desejo vulgar?

Tens o meu asco e é o que te serve

Muitas vezes também, minha piedade.

O meu canto às vezes se apaga

E não é por que sua voz me cala

Simplesmente porque não tenho nada a dizer

E não dizer nada, muitas vezes

É dizer mais do que ser quer.

Não compreendes o silêncio,

Pois vive ensurdecido

Por elogios torpos de amigos vis.

Por acaso já se olhou no espelho?

Sua imagem é essa que se apresenta?

Notas que seus olhos são fundos

Como a escuridão que refletem da sua alma!

Meu arrependimento não é ter te conhecido

Mas sim por nunca teres te visto.

Me olhavas com olhos a desejar

Somente meu corpo e assim

Ter me olhado e nunca ter me sentido,

Foi o seu maior desperdício.

Posso ser desejada por olhos que não me merecem

Mas os seus, foram os que menos

Mereceram minha atenção.

Cega fui, ao não perceber a sua insensatez

Porém não quero a pena ou olhos misericordiosos,

Pois sou Alma Livre,

Que sofre, que sente

Que ama, que está Viva!

As gaivotas gritam sobre minha cabeça

As águas do mar banham meus pés

E nunca mais serei triste!

O sal purifica minha pele

O cheiro da maré enche meu peito de esperança

Posso hoje até estar triste,

Mas amanhã estarei ainda mais feliz!

Principalmente por não ter mais você

A acorrentar meus sonhos, meu viver.

É preciso romper,

Perder o conforto,

Ir ao fundo do poço

Para sentir totalmente liberta!

Quanto mais comentas sobre mim

Mais certeza sei de que sou forte

E que não superou a perda.

No entanto, sei que me citas

Procurando me ferir,

Mas suas palavras já não me causam mal

Sinto que venço a todo momento,

Sou uma mulher livre,

Independente,

Orgulhosa

Dona do meu destino

E que jamais terei presa a você

Minhas ações!


 

AUTORA MIGUELA RABELO


Miguela Rabelo escritora de crônicas, contos e poemas, com seu primeiro livro solo de poemas: "Estações". Também é mãe atípica e professora da Educação Especial no município de Uberlândia-mg.
 

JULYPÊ


E assim o perfume

Da sua essência

Permanece impregnado

pelos ares...


Respirados pelas lembranças

De todos aqueles

Que se estropeceram

Com a sutileza

E leveza da tua presença

Como um céu

Azul-celeste,

Aquarelando notas de sol

A Definhar o outono,

Que resiste no findar

De mais uma estação

E que persiste a pintar

Possibilidades mesmo

No perecer de tudo

Um dia

A pulsar...


Nos mostrando assim

A singular beleza

Presente na delicadeza

imanente

De um singelo

Ipê a adornar o simples

Enamorar pela vida.


Ela com seu olhar terno

De sorriso sereno

E de alma perene

De quem não lamenta

As intempéries dos acasos

Que a vida nos prescreve...

Mas cativa e aquece

As arritmias cardíacas

De Aflições Alheias

De quem as padece.


E ali no teu divã vertical

Repousavam almas sedentas,

Acalentadas pela tua escuta

E canto a valsar

Palavras de puro encanto

E sabedoria a tesourar

Os fios desgrenhados

Que a vida teimava

Em desalinhar...


 

AUTOR SIDNEI CAPELLA


Sidnei Capella, natural e residente em São Caetano do Sul — São Paulo, Graduado em Administração, atualmente trabalhando no ramo imobiliário. Apaixonado por músicas MPB, com uma poesia e um conto publicado no site Amigas da Cristal, em comemoração do dia das crianças no ano de 2021. Convidado e publicado uma poesia no livro Fé para Conquistar da escritora Roberta Gomes. Participando como convidado na Antologia “Tributo a Vida” sendo organizada pelo Escritor e Poeta Gibson José de Santana. Escrevendo e publicando poesias e contos nos cadernos semanais da Editora Valleti Books, Participou da II copa de poesias da revista Cronópolis, em janeiro/2022, ficando entre os oito poetas finalistas, saindo nas quartas de finais. Escreve textos poéticos, contos e mensagens, grande parte dos seus textos são publicados na página do Instagram que administra. Utiliza a frase criada por ele: “Inspiração me leva a escrever sobre tudo, a inspiração vem de Deus, escrevo para o meu próximo, de modo a despertar sentimentos e mexer com suas emoções.”

 

SILÊNCIO ÍNTIMO


Eu e a solidão!

Minhas companhias:

O caderno;

Uma folha pautada;

A caneta na mão;

O pensamento;

A Reflexão;

Viajei para o universo...

Inspiração...

Desejo…

Desejo de compor

Do silêncio do meu íntimo

Poetizei!

Escutando a mais linda canção

Nasceu o poema

Feito com muito amor no coração.


 

AUTORA SIMONE GONÇALVES


Simone Gonçalves, poetisa/escritora. Colaboradora no Blog da @valletibooks e presidente da Revista Cronópolis, sendo uma das organizadoras da Copa de Poesias. Lançou seu primeiro livro nesse ano de 2022: POESIAS AO LUAR - Confissões para a lua.

 

MEU DESEJO


Doce desejo

Que desperta meus sonhos

Me levando ao encontro

Desse teu encanto

Um fascínio no olhar

Mistério que envolve

Deixa no ar segredos

Que à cada noite me provoca

A querer desvendar

Já não há saída

Estamos unidos num só destino

Presos num só coração

Te amar me refaz dia a dia

Na certeza que a vida me deu de presente...você

Com todo seu encanto e ternura


És o anjo que me protege

Me guia e me ampara

Nesse amor me entrego sem medo

Por toda vida

Para todo sempre...


 

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page