top of page

BECO DOS POETAS Nº 12 — 28/04/2022

Poderosos poetas e poetisas, palavras que marcam, que emocionam, que não se calam... e nos fazem sorrir!

Leia, Reflita, Comente!


Luiz Primati




O AMOR DOS TEUS OLHOS


por Paulo Brito e Stella Gaspar


Olha-me nos olhos e direi quanto te desejo, minha alma encontra-se em desespero pela dose da salvação que está no seu olhar...

Seus olhos me chamam suavemente, um chamado vivaz e eterno.

Como evitar esse chamado do destino

Que me arde à alma e me faz sentir que no universo mais belo

Teus olhos fizeram castelos

E com sorrisos, me fazes ser a tua lua.

Estou pura, feito a luz da noite estrelada.

Ó meu anjo amado

Deixas-me docemente com excessos de ternura

Com asas viciadas em voar contigo

Simplesmente belo, o amor de teus olhos.

Isso é amor? Não sei, apenas sei que estou em completo êxtase.

E ainda me dá frio na barriga quando se trata de pensar em você.

Você não tem ideia de quantas vezes madrugo só pensando em você.

No seu sorriso apaixonante.

Na sua voz que soa como música aos meus ouvidos.

O que sinto é verdadeiro, e ninguém vai ser capaz de mudar isso.

O amor pode ser viciante, ele revigora e faz brilhar os teus olhos.

Se entender isso, você nunca mais se sentirá sozinho (a).

Foi contigo que aprendi a olhar, com olhos de amor.

Um olhar sedutor embalado com um eu te amo.




QUE ANO!


por Laíse Leão


Tenho vontade de chorar

De correr

Insegura

Estou com medo

Dizem para escrever

Ditam o que fazer

Está tudo tão caótico

Um segundo atrás

Eu era alguém

Eu era alguém pra mim

Por que não sou mais?

Eis me aqui medo

Tenho medo de você

Tento me afastar

Pare de me perseguir

Fortificada com um front de batalha

Vou te vencer

Momentos

Paralelo e estreito

No seu começo

Deve-se no fim também

Pedregulhos

Beira ao riacho

Beira mar

Meus amigos

Que ano!




FRAÇÃO DE SEGUNDO


por Sidnei Capella


Em fração de segundo: O dia anoitece; A pessoa padece; De amor enlouquece; O ódio desaparece; O fanfarrão se enaltece; A verdade favorece; O jardim floresce; A mais bela flor aparece; O viajante se despede…

O momento é de prece Cada um tem o que merece.

O viajante chegou Com uma bela flor.

A donzela, avistou O sorriso do simpático Com o olhar sedutor

Começaram a flertar

A jovem menina pirou Em fração de segundo: Coração disparou! Caminhou para a mesa Ofereceu a bela flor Sem hesitar, a jovem aceitou Em fração de segundo:

Ela pegou!

Dançaram uma música.

Em fração de segundo:

A Jovem donzela inquieta ficou! Em fração de segundo:

O beijo na boca rolou!




POESIA QUE BRADA


por José Juca


Um corpo de gritos sepultados pelo meu amor

Um brado adormecido em coração arrebatado

Um sentimento enriquecido de luz e cor

Iluminado pela felicidade de Hera Eterna

De percursos de vida que passa e repassa

Ela de odor a inflamar-me o torso

Saudoso o toque adormecido na mente

Lembranças faceiras orquestradas em vida pregressa

De uma história eternizada nos passeios vespertinos

Calçadas e rotas que nos sorriram ao relento

De sentimento genuíno puro findo fenecido

Libertando seu amor a escolha de um paraíso

Guardando sonhos à memórias

Sua voz é música celta que me embala

Seu gosto único unânime universal

Só satisfazendo a recordações de Ser personal

Monalisa adornada nos olhos do coração

Sua felicidade fim em cadeia até mim

De um grito que percorre corpo vivaz

Que sorri do sorriso que a em ti

Bela eterna de frutos germinados em vida

Eternidade fugaz que me satisfaz




QUERO FAZER-TE ETERNA


por Rick Soares


Quero manter em meu peito a eternidade de teus olhos.

Quero manter em meus olhos o brilho de teu sorriso.

Quero manter como motivação do meu sorriso o contorno do teu rosto.


Quero assegurar-me de que não te irás de minha memória nem sairás de meu corpo ainda que eu faleça em esperança.




ENQUANTO HOUVER


por Lucélia Santos


Enquanto houver poesia

Amor louco em demasia

Enquanto houver inspiração

Paixão que explode coração


Enquanto houver palavras

Doces contos que acalmam

Enquanto houver melodia

Que traz recordação e alegria


Enquanto houver romances

Amores puros e constantes

Enquanto houver fantasia

Sonhos que encantam o dia


Há de haver esperança

Boas memórias, lembranças

Regada de paz infinita

E celebraremos a vida.




EL PAYASO DEL CIRCO


por Breidy Lara Abreu
IG: @breidylaraabreu

Yo solo soy, el payaso del circo

sonrió, porque es el trabajo que tengo que hacer

el público no tiene culpa, de las tristezas y el dolor mío

tampoco es necesario, que ellos lo deban saber

que importa, si mis días son amargos y sombríos

que importa, si tengo frío, porque afuera comenzó a llover

si dormí bien, o tengo días que no he dormido

si hoy no he comido, o mi mundo, se comienza a caer.


Soy el payaso del circo y reír es el trabajo mío

y siempre que llega el anochecer

debo salir al escenario, alegre y sonreído

y ejecuto mis payasadas para una linda mujer

aunque tenga el corazón herido

aunque no lo quiera hacer

pero mi público amado y querido

por eso, no tiene que sufrir ni padecer.


Porque lo que me haya acontecido

minutos antes de tener que comparecer

eso, únicamente es problema mío

y soy yo, quien lo debe resolver

entonces, por eso es que canto y rio

haciendo, las penas ajenas desaparecer

mientras que yo, el payaso del circo

no sabe con las penas suyas, que hacer.


Soy como el cómico, David Garrick, un viejo amigo

que de spleen crónico solía padecer

en la medicina, intentó encontrar la cura a su hastío

pero el diagnóstico médico, no lo llegó a sorprender

porque para su mal, el único antídoto

era asistir, a una de las famosas funciones que ofrecía él

allí entendió, que los hilos de su destino

aun queriendo, jamás los podría torcer.


Es por eso, que si sufro o si lloro, rio

si estoy triste o alegre también

pues siempre, detrás de mí mascara he podido

esconder, mi cruel pena y mi padecer

yo soy el triste payaso del circo

y allí no hay más nada que se pueda hacer

veré, si antes de que comience la función, consigo

disfrutar de este último atardecer.




ANTE MEU OLHAR


por Regina Prado


Talvez fosse melhor seguir

Deixando ares de saudade

Por onde a alma passar

Trocando a iniquidade voraz

Pela saudade tênue de um instante

Quem sabe ficaria para eternidade

Cravada numa placa de bronze

Onde mesmo sem querer

Leriam com curiosidade sagaz

Porquanto talvez lembrem

Do sorriso estampado em fotos

Registrados minuciosamente

Por um flash destemido afoito.

Até quem sabe pelo perfume marcante

Que atravessa o ar displicente

Fixado na mente de muitos

Inesquecível no coração de poucos.

Muitas vezes os olhos não sentem

E o coração nada vê

Mas o tempo não nos deixa nada esquecer.

Despedindo então cerraria

As cortinas do palco da ribalta

Assim com esplêndido aplauso da vida!




A VÍRGULA


por Ayadittrich


Encontrei, outro dia, na estrada…

[sabe… a estrada onde todos

correm, acelerados, sem nem sequer respirar???]

Bem... Voltemos!!!

Encontrei, na estrada, um homem

que trazia nas mãos, uma SACOLA...

Pensei ser, ele, um vendedor.

Frustrei-me…

Quis muito que fosse.....

O vendedor de felicidade...

Tinha esperanças de que, ele,

pudesse vender-me

um arco-íris, embrulhado com

aroma de terra molhada…

ou, quem sabe,

um colar de conchas

pintadas de céu para

presentear alguém especial!!!

Mas… quando ele, o tal vendedor,

se aproximou… descobri,

com todas as vírgulas,

que os melhores presentes

são os que nascem inesperadamente...

Afinal, o que mais poderia

ter, tamanho valor,

para alguém que

merece as estrelas???

E a sacola?!?!

A sacola.




PRETÉRITO PERFEITO


por Miguela Rabelo

A paisagem

Está nos olhos

De quem vê,

Assim como a beleza

E o amor são...


Cada qual

Está eternamente

Em busca

Do seu ideal...

Mas dificilmente,

Essa ideia

Será real...


Então,

Vale mais

Amar uma ilusão

Ou lutar

Pela imperfeição?

Que misturada as nossas...

Sintetiza a desarmonia

Em uma bela

E genuína poesia

Da melodia

Que acalenta

Dias nublados,

Em o melhor

De nós...


E em plena solitude

De amar

A tua existência vazia

Na minha alegria sozinha

De sentir o calor

Que aquece

Minha alma

Que têm

Aconchego,

Sombra,

Sinfonia

E mar...


Porém,

Se abster

É de direito

Por assim dizer...


Contudo,

Entendi...

Que Somente

O ressoar

Deste amor

Que jaz em mim...

Já me faz

Ser alguém melhor

Aqui...

Neste presente

Mesmo que ausente

E de um vazio

Intermitente...




NOSSOS COLUNISTAS


Da esquerda para a direita: Sidnei Capella, José Juca e Paulo Brito. Depois Stella Gaspar, Breidy Lara Abreu e Lucélia Santos. Depois Rick Soares, Miguela Rabelo, Ayadittrich. Por último, Laíse Leão e Regina Prado.

70 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo

2 Comments


Stella Gaspar
Stella Gaspar
May 02, 2022

Poesias consistentes, com uma profundidade para ilimitados mergulhos em suas palavras. ❤️Estou orgulhosa em participar desde Caderno lindo!

Like

sidneicapella
sidneicapella
Apr 28, 2022

Textos que enche nossos corações de amor!

Parabéns! José Juca, Paulo Brito, Stella Gaspar, Breidy Lara, Lucélia Santos, Rick Soares, Miguela Rabelo, Aya, Regina Prado e Laíse Leão.

Obrigado! Valleti Books, Luiz Primati e Alessandra Valle.

Like
bottom of page